Clube da Luta

Entrevista exclusiva: Júnior Cigano fala sobre retorno ao UFC e nova chance pelo cinturão

Cigano em treinamento na Nova União | Foto: Felipe Fiorito

Cigano em treinamento na Nova União | Foto: Felipe Fiorito

Júnior “Cigano” Dos Santos viveu o auge da carreira em 2011, quando derrotou, o até então imbatível Cain Velásquez, e conquistou o cinturão do peso-pesado. Após três anos, o brasileiro lutou mais duas vezes contra o americano, levou duas surras e sua capacidade foi colocada em xeque. O ex-campeão, que está sem lutar desde outubro de 2013, voltará ao octógono do Ultimate Fighting Championship (UFC) no dia 13 de dezembro para enfrentar o croata em ascensão Stipe Miocic, nos Estados Unidos.

Com duas derrotas avassaladoras para Velasquez, em 2012 e 2013, Cigano modificou os treinamentos em busca de se tornar um lutador mais completo. O ponto forte do brasileiro é o boxe, mas depois das críticas em seu jogo unilateral, Júnior Dos Santos foi treinar com Dedé Pederneiras -mesmo técnico de José Aldo – no Rio de Janeiro.

Júnior 'Cigano' Dos Santos sonha como nova disputa por cinturão. Foto: UFC/Divulgação

Júnior ‘Cigano’ Dos Santos sonha com nova disputa pelo cinturão. Foto: UFC/Divulgação

Com a mudança, os fãs podem esperar um lutador mais versátil, porém, sem deixar a origem da trocação. “É lógico que não posso deixar minhas características naturais. Acredito que sou um nocauteador e sempre vou buscar por isso. Mas minha mudança para o Rio foi em busca de aprimorar meu jogo, me tornar mais completo e melhor”, disse o atleta ao blog Clube da Luta.

+ Júnior Cigano e a parceria com a Nova União

Cigano deveria ter enfrentado Miocic em maio, mas uma lesão na mão o impediu de voltar. O brasileiro quer impressionar mais uma vez para ter nova chance pelo cinturão, nada melhor que um adversário à altura.

“Ele é um cara que está impressionando na categoria. E acho que vai ser uma grande luta, pois além do wrestling, ele aceita muito a luta em pé. Quem vai ganhar com isso é o público”.

Reconhecido pelo seu alto nível no boxe, Cigano elogia a trocação do croata, mas acredita que será ele quem sairá com a vitória por nocaute. “Ele já foi duas vezes campeão Golden Gloves (campeonato nacional amador de boxe dos Estados Unidos). Mas eu me sinto confortável lutando em pé, por mais que meu adversário seja bom, confio bastante em mim. Peso-pesado coloca muita força e potência. Com certeza, a luta pode… e vai acabar antes do quinto round. Posso nocautear qualquer um“.

Possível revanche contra Werdum pelo cinturão
O peso-pesado brasileiro já sentiu o gostinho de ser campeão da categoria, mas agora vê outro conterrâneo – Fabrício Werdum – que o próprio Cigano derrotou – brigar pelo título. Werdum enfrenta Mark Hunt pelo cinturão interino da divisão no UFC 180, em 15 de novembro, no México, por causa de uma lesão do campeão linear Cain Velasquez. Caso o detentor do cinturão fique mais tempo afastado, e os brasileiros vencerem, o destino pode colocá-los frente a frente mais uma vez.

“Eu faço o que o UFC mandar. Mas, com certeza, isso pode estar a ponto de acontecer, até por que o Werdum falava muito que queria uma revanche comigo. Não escolho adversário, mas se o UFC decidir me colocar contra ele, vou estar feliz”, completa Cigano.

Recomendado para você