Clube da Luta

Renovação quase completa: 2015 teve mudança de campeões em 7 das 10 categorias do UFC

O devastador nocaute de Holm em Ronda. Foto: UFC/Divulgação

O devastador nocaute de Holm em Ronda. Foto: UFC/Divulgação

Nunca foi tão difícil manter um cinturão no UFC. Foi essa a mensagem deixada na principal organização de MMA do mundo. Apenas em 3 das 10 categorias os lutadores começaram e terminaram o ano como campeões.

Na divisão dos pesos-moscas masculino, o americano Demetrious Johnson se mantém absoluto desde o surgimento da categoria no Ultimate, em 2012. Este ano, ele fez duas defesas de título com êxito, contra John Dodson e Kyoji Horiguchi.

Entre os pesos-galos, TJ Dillashaw se manteve no topo ao vencer a revanche contra o brasileiro Renan Barão, repetindo a dose do primeiro combate, conquistando um novo nocaute.

Entre os pesos meio-médios, o americano Robbie Lawler, que havia conquista a cinta da divisão em dezembro de 2014, se deu na primeira defesa de título, ao protagonizar a Luta do Ano contra o canadense Rory MacDonald, conquistando a vitória por nocaute.

Nas demais divisões, o título mudou de mãos ao longo da temporada. Foram 7 novos campeões que surgiram em 2015. Na recém criada divisão dos pesos-palhas feminino, a polonesa Joanna Jędrzejczyk desbancou Carla Sparza em março e defendeu com vitórias após duas primeiras lutas que fez como campeã.

Dos Anjos manteve o Brasil com dois cinturões | Foto: reprodução/UFC

Dos Anjos manteve o Brasil com dois cinturões | Foto: reprodução/UFC

Na divisão dos pesos-leves masculino, Rafael Anjos se consagrou ao derrotar de forma implacável o americano Anthony Pettis, se tornando o primeiro brasileiro a chegar ao topo da categoria. Na divisão dos pesos médios, Chris Weidman, algoz de Anderson Silva, sofreu uma derrota implacável para o compatriota Luke Rockhold, novo campeão da categoria.

Entre meio-pesados, com a suspensão de Jon Jones, o americano Daniel Cormier assumiu o reinado da categoria ao derrotar Anthony Johnson e manter o título contra Alexander Gustafsson.

Já entre os pesos-pesados, Cain Velasquez viu o título linear da divisão ir para o espaço ao perder para o brasileiro Fabrício Werdum, por finalização, em combate realizado na Cidade do México, em junho deste ano.

CHOCOU O MUNDO

Aldo perdeu o cinturão dos pesos-penas para McGregor. Foto: UFC/Divulgação

Aldo perdeu o cinturão dos pesos-penas para McGregor. Foto: UFC/Divulgação

Mas o ano de 2015 ficou marcado mesmo por dois abalos sísmicos, ocorridos quase de forma consecutiva. No final de novembro, Holly Holm chocou o mundo ao aplicar um duro castigo ao então imbatível Ronda Rousey, musa e grande sensação do UFC. Com um chute alto na cabeça, Holm, que é multicampeã do boxe, destronou Honda e iniciou um nova era na divisão dos pesos-galos do UFC.

Quem também fez história no UFC em 2015 foi o Conor McGregor. Após conquistar o título interino dos pesos-penas, o irlandês enfrentou José Aldo, na luta mais aguardada do ano, e deixou os fãs do mundo inteiro boquiabertos ao emplacar um nocaute em apenas 13 segundos de luta, deixando o brasileiro, que não perdia há 10 anos, apagado no octógono.

O ano termina com um saldo de dois títulos para o Brasil, seis para os Estados Unidos, um para Irlanda e um para Polônia.

Recomendado para você