Clube da Luta

ENTREVISTA: vice-presidente do UFC avalia que Fortaleza está apta a receber edição numerada do Ultimate

Joe Carr é vice-presidente sênior internacional do UFC AURÉLIO ALVES, ESPECIAL PARA O POVO

Joe Carr é vice-presidente sênior internacional do UFC. Foto: AURÉLIO ALVES\ESPECIAL PARA O POVO

Fortaleza está se preparando para receber, pela segunda vez, o maior evento de MMA do mundo, o Ultimate Fighting Championship (UFC), no dia 11 de março, no ginásio do Centro de Formação Olímpica (CFO).

A perspectiva de contar com uma arena com ambiente climatizado, e que comporta mais de 15 mil espectadores para o Fight Night, anima o vice-presidente sênior internacional do UFC, o americano Joe Carr.

O executivo revela que a Capital tem tudo o que é necessário para receber em breve uma edição numerada do Ultimate, que pode envolver superluta, disputa por cinturão e transmissão em pay per view para os dois maiores mercados da companhia, EUA e Canadá.

O POVO – Qual a expectativa do UFC neste retorno a Fortaleza, após quase quatro anos?

Joe Carr – Faz mais de três anos que estivemos no Nordeste e sabemos que aqui temos uma das bases mais fortes e apaixonadas de fãs. Mas, obviamente, as arenas, a infraestrutura sempre foram um desafio. O CFO é ótimo, é uma das melhores arenas nas quais eu já estive na América Latina. Estamos animados de estar de volta. A experiência para os fãs será muito melhor com os telões, o ar condicionado, os novos assentos…

OP – Com essa nova estrutura que Fortaleza dispõe, você acha que a Cidade está credenciada a receber uma edição do UFC de mais impacto, com disputa de cinturão ou superluta?

Joe – Acho que sim. Porque a arena é grande o suficiente, 15 mil lugares, então, podemos ter um evento grande… Com certeza, tem o potencial. Historicamente, levamos nossos eventos numerados (de maior relevância e com apelo de pay per view) para cidades maiores, como Rio de Janeiro, Curitiba (em termos populacionais, Fortaleza é a 5ª capital do País enquanto Curitiba é a 8ª, já por Produto Interno Bruto as posições se invertem). Mas nós sabemos que temos uma grande base de fãs no Nordeste, não só de Fortaleza, mas de Recife, Natal, e podemos trazer pessoas dessas cidades para cá, trazer pessoas de toda a região para cá. Então, é possível.

OP – O UFC tem esse evento de março e um em junho no Brasil. Podemos esperar mais eventos no País?

Joe – Em 2017, vamos ter três eventos, assim como ano passado. Temos um em junho, que será um evento numerado, e teremos mais um UFC Fight Night (como o que Fortaleza recebe em março) até o final do ano. Para 2018, a agenda ainda está muito longe, mas penso que teremos outros três ou quatro eventos. Pensando estrategicamente, nós vemos Rio e São Paulo como nossa principal âncora comercial, mas também gostamos de nos mover um pouco, seja para o Sul, em Porto Alegre, seja voltar para Curitiba ou Brasília, o Nordeste, obviamente Fortaleza. Nós tentamos nos mover ao redor do País para poder alcançar nossos fãs.

OP – Qual a experiência que o UFC quer passar para o fã que assistir ao evento no dia 11 de março, em Fortaleza?

Joe – Eu sempre achei que o UFC faz o melhor trabalho para um evento ao vivo. Podemos dar aos fãs um dia especial, são cinco horas, então, um dia cheio. A qualidade de produção, com nossas telas, o sistema de som.. O show que fazemos na arena para os fãs, além das lutas obviamente, achamos que é o mais valioso no esporte, pelo preço dos ingressos.

Recomendado para você