Clube da Luta

Coluna: 5 bons motivos para acompanhar o UFC Fortaleza

Evento será realizando no ginásio do CFO. Foto: UFC\Divulgação

Neste sábado (2), a partir das 19 horas, os olhos dos fãs de MMA do mundo inteiro se voltam para Fortaleza, que recebe pela terceira vez uma edição do UFC. O retorno do Ultimate à Capital reserva algumas boas atrações. A coluna cita aqui cinco bons motivos para ficar ligado no que vai rolar neste sábado no ginásio do Centro de Formação Olímpica (CFO).

1°) A luta principal, mesmo sem contar com atletas medalhões, pode definir um futuro campeão brasileiro na organização. Isso porque o vencedor do duelo entre o carioca Marlon Moraes e o pernambucano Raphael Assunção ganha o direito de disputar o cinturão dos pesos-galos, atualmente do americano TJ Dillashaw. Sem contar que trata-se de revanche com cara de tira-teima. Isso porque o primeiro embate entre eles, em 2017, foi parelho e deu margem a contestações. Na ocasião, Raphael levou a melhor por decisão dividida dos juízes.

2°) José Aldo estará em ação. E a luta dele, contra o brasiliense Renato Moicano, pode ser um divisor de águas na reta final de sua carreira. Aldo revelou ontem, na entrevista do Media Day, que seu “maior desejo” é enfrentar pela terceira vez o americano Max Holloway, atual campeão e responsável pelo fim de seu reinado nos pesos-penas. Só uma vitória de Aldo torna esse sonho possível. Uma derrota faria ele repensar os planos e buscar novas metas para as últimas duas últimas lutas de seu contrato com o Ultimate.

3°) Dois dos maiores mestres na arte de finalizar estarão em ação no card: Demian Maia e Charles do Bronx, recordistas em vitória com técnicas de jiu-jitsu (finalização). Como legítimos faixas-pretas da modalidade, os dois atletas prometem um show de técnicas da arte-suave no octógono. Demian enfrenta o americano Lyman Good, em combate da divisão meio-médio. Já Charles encara o sueco David Teymur, em duelo pela categoria peso-leve.

4°) Assim como nas últimas vezes que o UFC esteve aqui, a torcida terá um atleta literalmente da casa para torcer: Thiago “Pitbull” Alves, natural de Fortaleza e que é, atualmente, o único cearense no elenco do UFC. A motivação dele está no alto para dar show para seus conterrâneos. Isso porque, após 18 anos, ele está voltando a lutar em sua terra natal, de onde saiu jovem para morar e fazer carreira nos Estados Unidos. No UFC há 14 anos, com mais de 20 lutas na organização e com uma disputa de cinturão dos meio-médios no currículo, Pitbull encara o americano Max Griffin. E prometeu: vai pra cima para buscar o nocaute.

5º) O card conta com algumas das promessas que representam a nova geração do País no MMA. Entre elas, o destaque é o carioca Johnny Walker, de 26 anos, revelado neste ano pelo Contender Series Brasil, reality show criado pelo UFC para captar talentos. Walker estreou pelo Ultimate em novembro passado, na Argentina, mostrando seu cartão de visitas, com um nocautaço com cotoveladas. Agora, o meio-pesado carioca enfrenta o americano Justin Ledet. Duas sensações do MMA feminino, Livinha Souza e Sarah Frota (também reveladas pelo Contender Series Brasil) se enfrentam em combate cercado de muita expectativa. A vencedora do duelo pode despontar na divisão peso-palha, que nunca teve brasileira como campeã.

*Reprodução da coluna de Bruno Balacó publicada no jornal O POVO no dia 1º de fevereiro de 2019