Corremah!

São Silvestre: O Santo Padre que arrasta multidões não somente nas igrejas e festejos, mas também, no segmento de corridas de rua.

Fortaleza, 20/12/2017 – Tradicionalmente, o dia 31 de dezembro já faz parte do nosso cotidiano de corridas deste 1925, ano em que o jornalista Cásper Libero realizou a primeira edição da Corrida de São Silvestre na capital paulista. Naquela época, apenas 60 corredores brasileiros (homens), participaram da corrida, e deste total, 37 foram validados como finalistas após uma linha de corte prevista no regulamento. De lá para cá, a corrida brasileira tornou-se uma referência internacional, e estima-se que 30 mil atletas estejam inscritos nesta 93ª edição no próximo dia 31 de dezembro.

Mundo afora, muitas corridas homônimas à São Silvestre (oficiais e não oficiais), também são realizadas no mês de dezembro, e com alguns minutos de pesquisas na internet, podemos encontrar mais de 50 corridas de São Silvestre, principalmente em Portugal.

Além do Brasil e Portugal, Alemanha, Argentina, Espanha e África também possuem as suas São Silvestres, e as características entre países mudam: corridas filantrópicas; temperaturas abaixo de zero; percursos binacionais; distâncias variadas; provas infantis, atletas fantasiados, premiação, etc…

A São Silvestre brasileira, é a pioneira no mundo com o nome do Santo Padre – São Silvestre, e a nossa corrida é reconhecida internacionalmente pela grande festa nas ruas da capital paulista, além de disputas acirradas entre brasileiros e estrangeiros, (principalmente africanos). Na Espanha, a Corrida de São Silvestre de Valência é a maior do mundo, com aproximadamente 40 mil inscritos. Independente do país, muitos participam da Corrida de São Silvestre de forma festiva, como a última do ano, até porquê, fica difícil de correr rápido com tantas pessoas ocupando o mesmo espaço nas ruas.

Continuar lendo…

.

.

.

Recomendado para você