Corremah!

Avaliação: 21k Terra da Luz caiu no gosto do corredor

A terceira edição da Meia Maratona Turistíca de Fortaleza – 21k Terra da Luz veio com força em 2019 e se firmou de vez no calendário de corridas de rua do Ceará. Com uma programação diversificada, que incluiu seminários esportivos, apresentações culturais e uma boa estrutura, a prova abriu o mês de setembro no último domingo (1º) e reuniu milhares de corredores, em três percursos diferentes pelas ruas do Meireles.

No final a vitória no percurso principal – a Meia Maratona – coube a Gilson de Souza, no masculino, com o tempo de 1h09m16 e  Fatima Andrade, no feminino, com 1h29m19. Houve disputas ainda em outros dois percursos, os 14km e os 7km, Cerca de tres mil corredores participaram da competição que marcou ainda o dia do educador físico, comemorado dia 1º de setembro.

O clima nublado da manhã de domingo ajudou e muito os corredores, em um percurso técnico, com longos retões e algumas subidas desafiadoras. Diferente de outras meia maratonas, nessa, todos largaram do mesmo ponto, o Parque Bisão, na avenida Beira Mar, próximo da velha estátua de Iracema. Aos poucos, lá pelo terceiro quilômetro os grupos se dividiram, com o pessoal dos 7km subindo a avenida Virgílio Távora em direção à Santos Dumont. O restante prosseguiu reto, se dividindo próximo ao Marina Park. O pessoal dos 21km ainda seguiu até a avenida Leste Oeste, passou pelo Centro e retornou.

Foi chão. Mas o visual valeu a pena. Ainda mais com uma chuvinha fina que demorou uns cinco minutos e que refrescou os corredores. No trajeto, a passagem por pontos históricos e turistícos de Fortaleza. A água foi farta para os participantes, mesmo os tradicionais “pipocas” que marcaram presença em grande número. Para variar, como acontece nas provas em locais de grande fluxo como a área do Meireles e Aldeota, os motoristas deram show de má educação.

Apesar do horário ser bem cedinho do domingo – a largada foi às 6 horas – ainda sim já havia muitos estressadinhos buzinando e colocando os carros entre os corredores que passavam. Nem mesmo o pessoal da AMC e do staff coneguiu impedir atitudes mais extremas. Como é que pode uma criatura já acordar no fim de semana com tanta pressa e nervoso?

Pois bem. A chegada no Parque Bisão comprovou mais uma vez que o loal é ideal para a dispersão. Não houve tumulto e havia espaço bacana para acompanhar quem cruzava a linha final e para aqueles que já descansavam nas assessorias ou curtiam o show musical. Fica apenas a dica para a organização melhorar a sinalização dos quilômetros, principalmente para quem está competindo fora da prova principal. De resto, foi show!

Recomendado para você