Cotidiano e Fé

Celebrando a restauração

60 7

Religiosos, principalmente evangélicos, são pródigos em apontar os erros da sociedade, condenar procedimentos ilícitos e excluir do convívio os que agem fora dos seus padrões. Sem discutir o mérito de tal procedimento, vale ressaltar que o evangelho também apresenta outras ênfases dignas de consideração.

Uma das ênfases está relacionada ao apelo misericordioso do evangelho, que tem como público alvo exatamente aqueles que se encontram fora do caminho, ou seja, os que facilmente excluímos ou isolamos do convívio relacional.

Outra ênfase está no exemplo do próprio Jesus que atraiu para perto de si os delinquentes e pecadores, oferecendo-lhes alívio, consolo e oportunidade de conversão ao novo e reto caminho.

Por fim, a realidade de cada discípulo no processo de aperfeiçoamento e crescimento que nos leva a concluir que também somos pecadores, passíveis de erro vivendo sob a misericórdia de Deus e que, por isso, podemos celebrar cada passo no longo caminho da restauração.

O que poderia nos tornar mais agentes da restauração do que paladinos da condenação seria a noção concreta de que todos, sem exceção, em alguma área da vida, estamos em processo de restauração.

Desta forma, posso celebrar a declaração de arrependimento tanto quanto cada passo do arrependido em direção ao padrão e ao modelo do caráter dAquele a quem seguimos e servimos – Jesus Cristo. Celebremos!

(Mateus 7:1; Gálatas 6:1-4; Lucas 15:7)