Cotidiano e Fé

Eleições e a inquisição por e-mail

141 3

 Aberta a campanha para o segundo turno, os programas eleitorais do PT e PSDB davam o tom do que seria a grande questão neste segundo turno. Senhoras e Senhores, o Brasil se resume agora a dois temas: aborto e questão religiosa. Resolvidos esses imbróglios, estaremos muito bem como País, pensam alguns. Felizmente, enganados.

Ao lado do fenômeno do voto religioso, temos algo muito interessante acontecendo, que é uma intensa participação via Internet. De uma forma marcante, a rede de computadores entra definitivamente do cenário eleitoral. Assistimos a incrível ascensão da candidata verde, nos últimos dias antes do primeiro turno. No segundo turno, as pesquisas indicam importantes oscilações nas intenções de voto nos dois candidatos. Em grande parte, isto se deve à Internet. Mas será que estamos sabendo usar este poderoso recurso?

Recebo diariamente uma descarga de e-mails, fotomontagens e vídeos de telepastores e padres virtuais. Sua caixa de entrada já deve ter sido bombardeada com o tema da vez: Dilma e sua relação com o aborto e outras questões religiosas. Algumas mensagens eu apago sem ler. O título já antecipa o ódio, trazendo palavras como assassina, herege, bruxa entre outras. Independente da posição política do leitor, convenhamos, isso é pura manipulação! É a vitória da maledicência sobre a moderação. É analfabetismo político fantasiado de religião sem um pingo de amor. Presenciamos um sentimento de obscurantismo, como se católicos e protestantes estivessem em plena idade média. Começamos jogando na fogueira das correntes de e-mail as ideias alheias, seus pontos de vista, e, por fim, os próprios “hereges”. A quem interessa essa e-inquisição?

No caso, Dilma e Serra são muito parecidos em suas opiniões naturais sobre o aborto e a união civil. Ambos tenderiam a uma regulamentação do aborto, antes de receberem um banho de marketing pró-vida. Os dois ultimamente se comprometeram em não fazê-lo. Sobre a união civil, Dilma e Serra (os dois também de olho no voto liberal) manifestam-se a favor, mas prometendo não tocar do tema do casamento. Sei… É como tivessem lavado as mãos. Agora é no Congresso que devemos acampar! Em quem você votou para deputado federal e senador? Esses votos seriam bem mais decisivos sobre o tema do aborto, por exemplo, que o voto para presidente.

Pergunto, então: se os dois candidatos são tão parecidos nesse assunto, porque a atual inquisição? Seja qual for a resposta, deverá considerar que estamos diante da ação tão secreta como as clínicas de aborto no País, montada para atingir a candidata Dilma. Querem supervalorizar uma diferença que na verdade não existe entre ela e Serra. Os dois vão merecer nossa atenta fiscalização. Estamos instigados à participação, essa é a verdade!

O cristão deve sempre “examinar tudo e reter o que é bom” (I Ts 5:21). Quanto à eleição presidencial, prefiro examinar todo o Brasil, e não um tema só. Essa inquisição está queimando a discussão sobre educação, saúde, reforma política, meio ambiente, petróleo, privatização, saneamento, segurança…Quanto a essas correntes de e-mails do fogo, tenho uma tecla reservada para elas: Delete!