Cotidiano e Fé

Receita para ser feliz

62 8

Como trabalho num programa de apoio a pessoas que buscam superar suas compulsões, boa parte do meu tempo é dedicado a ouvir suas histórias, lutas e dores. E praticamente todas elas, ao fim, de uma primeira conversa, dizem: “o que eu faço?”, ou “me diga o que eu devo fazer para sair dessa situação?”, ou “como eu resolvo meu problema?”.
Todos nós queremos ser felizes.  E todos corremos atrás da receita!

Boas notícias! A receita já existe há muito tempo, disponível para qualquer pessoa e é de graça. Está no Sermão do Monte, a mais famosa mensagem de Jesus e contém tudo que precisamos saber e fazer para sermos felizes. São oito princípios que orientam nosso crescimento pessoal e espiritual.

1. PRINCÍPIO DA DEPENDÊNCIA
 “Felizes as pessoas que sabem que são espiritualmente pobres…” Mateus 5:3

Ser pobre de espírito é descobrir nossa absoluta carência de Deus, nossa frágil humanidade e viver em total dependência dEle. As marcas da nossa desobediência a esse Princípio são corrosivas: autossuficiência, orgulho, perfeccionismo, insegurança, ansiedade, medo de ser quem realmente se é, excessiva preocupação com a autoimagem, necessidade de aprovação, insatisfação.

2. PRINCÍPIO DO QUEBRANTAMENTO
“Felizes as pessoas que choram…” Mateus 5:4

Chorar é descobrir que nossos problemas não estão do lado de fora, mas do lado de dentro – o meu problema sou eu. É assumir responsabilidade pelos erros cometidos, sem atribuir culpa aos outros e demonstrar tristeza por causa deles. É ser sensível e compassivo com os pecados e problemas das outras pessoas. Quando infringimos este Princípio tornamo-nos insensíveis às nossas falhas, o que nos leva a procurar culpados pelos nossos problemas e a nos empenhar em mudar os outros, afinal são eles que estão errados e são os causadores de nosso sofrimento. Nosso egoísmo e a crença de que o mundo gira ao nosso redor também nos tornam insensíveis aos sentimentos e problemas das outras pessoas.

3. PRINCÍPIO DA ENTREGA
“Felizes as pessoas humildes…” Mateus 5:5

Ser humilde é submeter-se inteiramente a Deus, entregando a Ele todos os direitos e pertences, entendendo que não somos mais donos de nada, nem mesmo da própria vida. Quando não nos rendemos inteiramente a Deus, facilmente iremos entregar o controle de nossas vidas a falsos deuses (ex: dinheiro, paixões, títulos, sexualidade etc…). Viveremos em função do ter, da satisfação de nossos desejos, de nós mesmos. O resultado será a ansiedade, amargura, inveja, ódio e avareza.

4. PRINCÍPIO DA FOME
“Felizes as pessoas que tem fome e sede de fazer a vontade de Deus…” Mateus 5:6
Ter fome e sede de fazer a vontade de Deus é desejar obedecê-Lo. É ansiar por satisfação apenas Nele e no que Ele nos dá.  É poder dizer como Santo Agostinho: “Dá-me o que ordenas e ordena o que quiseres”. Não viver este Princípio, nos leva à estagnação espiritual, perda de interesse pelas coisas espirituais, religiosidade aparente, busca de satisfação através de nosso próprio esforço.

5. PRINCÍPIO DO PERDÃO
“Felizes as pessoas que tem misericórdia dos outros…” Mateus 5:7

Ter misericórdia é perdoar completamente quem nos ofendeu ou feriu. É procurar o ofensor com a atitude correta para restaurar a comunhão com ele. Não perdoar enche nosso coração de ressentimento e amargura; leva-nos a falar mal da pessoa, à crítica amarga, condenação, desejo de vingança.

6. PRINCÍPIO DA INTEGRIDADE
“Felizes as pessoas que tem o coração puro…” Mateus 5:8

Ter o coração puro é ter motivações corretas, não ter ambiguidade entre as motivações e as ações. É ser transparente, sincero e autêntico. Quando nosso coração deixa de ser fonte de vida (Provérbios 4:23) e passa a ser fonte de morte, o resultado é vida dupla, hipocrisia, desonestidade, impureza,  perda da consciência limpa.

7. PRINCÍPIO DA RECONCILIAÇÃO
“Felizes as pessoas que trabalham pela paz…” Mateus 5:9

Ser pacificador é procurar de todas as maneiras possíveis promover a reconciliação entre pessoas que estão separadas, estar prontos a consertar nossos relacionamentos quebrados. A desobediência a este Princípio nos enche de sentimento de culpa e remorso e resulta em insegurança, medo da retaliação do outro, afastamento das pessoas e maledicência.

8. PRINCÍPIO DO TESTEMUNHO
“Felizes as pessoas que sofrem perseguição por fazerem a vontade de Deus…” Mateus 5:10

Viver este Princípio nos leva a compartilhar através do nosso comportamento, atitudes e palavras nossas histórias de superação, vitória, esperança, fé, de maneira que outras pessoas possam conhecer um Deus que cura e liberta os feridos de alma. Não testemunhar, nos torna alienados, insensíveis e omissos ao sofrimento alheio, egoístas e centrados em nós mesmos.

 

Por Síria Giovenardi