Cotidiano e Fé

Do GR ao revezamento da Tocha Olímpica

antonioi

Do GR à Tocha Olímpica 

O Revezamento da Tocha Olímpica será um dia inesquecível para o educador físico Antônio Carlos Santos que carregará a tocha no percurso do Centro de Eventos do Ceará rumo ao Iguatemi, previsto para iniciar às 15h.  Há mais de um ano em tratamento de câncer de estômago, Antônio Carlos tem se abastecido de fé e esperança em um Grupo de Relacionamento da IBC Fortaleza, e hoje será um grande exemplo de superação no evento olímpico.

A escolha

A Secretaria de Educação do Estado do Ceará – Seduc, escolheu a Escola de Ensino Fundamental e Médio José de Alencar como representante da educação para participar do evento olímpico. Na escola, o corpo docente escolheu o professor Antônio Carlos para carregar a tocha. Após contato do comitê olímpico ele recebeu a confirmação, no último sábado, de que participaria do revezamento dentro de Fortaleza.

Foto recente, com 20 kg a menos do peso ideal

Foto recente, com 20 kg a menos do peso ideal

Câncer

O professor da rede estadual é casado com Renata, tem 43 anos,e foi acometido por câncer no estômago em 2014. De lá pra cá enfrentou quimioterapia e depois cirurgia. Em dezembro de 2015 fez novos exames e constatou metástase, novamente voltou para a quimio quinzenalmente. Atualmente o quadro dele é estável, mas a quimioterapia continua. Seu pai enfrentou o mesmo câncer mas após cirurgia sofreu um AVC, ficou sete meses em estado vegetativo e não resistiu, falecendo em 2013.

Antônio Carlos não sabe explicar se foi escolhido pela sua profissão ou pelo fato de estar em tratamento do câncer. Professor desde 1995, ele dá aulas para adolescentes e jovens do 9º ano ao 3º ano do ensino médio.  O professor ressalta que aceitou o convite, apesar da doença e da incerteza de sua condição física para participar do revezamento. “Disse sim apenas confiando em Deus”, afirma.

gr2

GR 

Antônio Carlos fala que antes mesmo de participar do Grupo de Relacionamento, o GR já influenciava sua caminhada cristã. “O GR é de fundamental importância nesse processo, pois recebi apoio dos irmãos antes de conhecê-los. Eu me converti em dezembro de 2014 alguns dias antes de saber o diagnóstico da doença e tenho certeza que foi Deus que tem me ajudado para poder atravessar esse deserto. Estou muito feliz em viver esse momento único pois eu pensava que nunca mais iria participar de eventos esportivos, tudo será para honra e glória do Senhor Jesus”, finaliza.

gr

Recomendado para você