Cotidiano e Fé

Carta para as mamães

1185 1

“Aprendi mais sobre o Cristianismo com a minha mãe do que com qualquer outro teólogo da Inglaterra.” (John Wesley)

Quis começar propositalmente com essa citação não por menosprezar a teologia ou o próprio teólogo, mas por causa do impacto que isso causou em mim desde a primeira vez que li.

Recordando um pouco da minha infância, sempre gostei da ludicidade, de imaginar, criar, conhecer. Não me recordo de ser uma criança que lia bastante. Até gostava quando alguém contava histórias para mim, mas, por minha vontade, eu nem triscava em livros, a não ser os da escola. Aos doze anos, a paixão por leitura começou: História do Brasil, literatura brasileira, narrativas, teologia e vários outros gêneros.

Mas por que eu estou contando isso? Será que tem alguma ligação com o dia das mães?

Há um mês, tenho pesquisado e tido vários insights sobre o que fazer para o Dia das mães: um café da manhã? Um almoço? Chocolate? Que tal perfume? E se…? E se…?

Foram vários e vários …E se…?.

Se você é mãe e está lendo esse singelo texto, gostaria de lhe dizer algumas palavras. 

Querida mamãe

Eu juro, solenemente, falar somente a verdade e nada mais além do que a verdade. Afinal, você me ensinou a ser justa e correta, independente da situação.

Obrigada por ter sido paciente comigo, Obrigada mesmo! Paciência é uma palavra cujo significado você tão bem traduz desde a descoberta da minha chegada.

Esperar que um ser tão pequeno fosse se desenvolver, crescer, chutar sua barriga, fazer você comer muito e engordar vários quilos, causar-lhe azia e muito mais sono depois do almoço…Fazer você escolher todos os detalhes do meu quarto para me receber e ser motivo da tarefa mais difícil: escolher o meu nome.

Obrigada por ser tão sábia e me ensinar com tanto zelo. Você foi sábia no dia em que meus colegas de escola fizeram uma brincadeira de mau gosto; você foi sábia quando eu tirei nota baixa e você disse que acreditava no meu potencial; você foi sábia quando eu troquei figurinhas do álbum no colégio; foi sábia quando me disciplinou a acordar cedo e ter responsabilidades.

Você sempre teve uma sabedoria grandiosa, algo que vem de Deus.

Obrigada por ter sido tão dedicada!

Lembro das vezes em que você fazia curso de pintura, me deixava com a tia e chegava do curso cheia de saudade de mim. Lembro, também, das inúmeras vezes em que você me deu mingau antes de ir pro colégio, bem cedinho.

Você sempre foi a primeira da casa a acordar e a última a deitar, sempre dando o melhor para nossa casa.

Obrigada por ter me ensinado a ser uma mulher de Deus e nunca esquecer dos ensinamentos Dele. Inúmeras vezes vi você orando por mim e me dando palavras de consolo.

Obrigada por ser conselheira e educadora. As suas palavras e seu modo de agir sempre me ensinaram e me ensinam muito.

Obrigada por cozinhar com tanto amor e sempre deixar a casa arrumadinha e com um cheiro bom. Sei que são tarefas que parecem nunca ter fim, mas, mesmo assim, você faz com todo empenho. Suas comidas ultrapassam em muito os sabores da França, honestamente falando! A sutileza e o carinho no sabores me abraçam e me fazem sentir amada.

Você me ensinou muito sobre hospitalidade. Obrigada por ser encorajadora, isso foi essencial para o meu crescimento.

Quantas vezes você me viu chorando quando eu mesma não acreditava no meu potencial? Várias vezes! Agradeço-lhe por nunca desistir de mim e sempre me encorajar. Isso formou o meu caráter.

Obrigada por ser emocional! Uma chorona de carteirinha que me ensina muito sobre chorar com os que choram e sorrir com os que se alegram.

Obrigada por ser guerreira e determinada! Você me ensina muito sobre combater o bom combate, terminar a corrida e guardar a fé. Você me ensina que sou instrumento de Deus e incentiva que eu seja corajosa para falar sobre Ele aqui na Terra.

Obrigada por ser você,  tão autêntica e cheia de afeto! Sou grata por sua vida e feliz por caminhar com você. Amo você! Feliz Dia das Mães! 

 

 

“Eu me lembro das orações da minha mãe e elas me acompanharam. Elas me seguiram por toda a minha vida.”

(Abraham Lincoln)