Cotidiano e Fé

Não somos heróis

Não somos heróis. Teve um tempo que pensei que erámos, mas não somos.
Apesar do altruísmo nas nossas ações, não temos o reconhecimento da
população. Quando morremos, só nossos colegas e familiares choram por
nossa partida, a grande maioria da sociedade pouco se importa.

Não somos heróis, aliás nunca fomos. Criamos isso para nos iludirmos, uma
espécie de sublimação coletiva inspirada na ficção que nos faz crer que
estamos sendo importantes, mas estão pouco se lixando com às aflições que
nos acometem. Morremos e seguimos para a vala do esquecimento. Alguém
lembra o nome do último? Como ele foi morto? Quando? Não, não se lembra.
Mas não se preocupem com isso, afinal não somos heróis.

Mas por que seríamos heróis? Em uma sociedade que trata o seu algoz
como vítima, porque ainda nos surpreenderíamos com a indiferença da
população pela morte daqueles que se dispõem a morrer para defendê-la.
Vivemos em um país que o mal banal das pessoas é justificado pela
desigualdade social, racial ou financeira. Segundo os seus defensores
libertários, essas pessoas são vítimas da sociedade. Uma "verdade por
autoridade" imposta por aqueles que militam por esses humanos e por seus
direitos.

E se outro for morto? Se mais um filho ficar órfão? Se mais uma mulher ficar
viúva? Não se preocupem, as nossas sirenes continuarão acionadas para
atender os seus chamados. Apesar do olhar inquisidor dos trabalhadores
acusadores, prontos para precipitadamente denunciar as nossas ações ou
possíveis omissões, a postos para defender aqueles que os atacaram,
usando todos os meios para se mostrar e demonstrar que não somos heróis,
correremos sempre na direção do perigo.

Esse é o nosso labor, imposto a esses servi publici, que se vestem iguais e
andam disciplinarmente em ordem unida, vivem sem contemplação, são
tratados com indiferença e morrem como um animal laboral. Fiquem
tranquilos, estamos por aqui, somos muitos e não somos ninguém.

 

PLAUTO DE LIMA
Coronel da Polícia Militar do Ceará

P.S: Artigo em homenagem a todos os policias militares mortos nessa guerra
urbana cearense.