Discografia

Homenagem merecida

Na cola da homenagem prestada pela Prefeitura de Fortaleza no Carnaval de 2010, o cantor, poeta e arquiteto Fausto Nilo teve uma parte do seu cancioneiro reinterpretado por grande estrelas da MPB. Com o nome Quando Fevereiro Chegar – Uma Lírica de Fausto Nilo o tributo traz 12 versões inéditas para alguns dos seus maiores sucessos, tendo como ritmo base o frevo. A produção é de Robertinho do Recife, que também empresta sua guitarra mágica para boas parte das faixas. Destaque também para a bela arte da capa. Embora não esteja (ainda) disponível para compra, o disco é uma bela homenagem a este grande compositor cearense. 

Siga o faixa-a-faixa:

1. Vida Boa – Para abrir os trabalhos em ritmo acelreado, Geraldo Azevedo faz uma versão acelerada do frevo Vida Boa, já gravado por Caetano no ao vivo Prenda Minha.

2. Coisa acesa – Caetano Veloso puxa o freio e faz uma versão lenta para um dos grandes sucessos de Moraes Moreira. Trocando parte da agitação por afinação, o baiano ressalta as belas rimas de Fauto Nilo.

3. Santa Fé – Em 1985, Santa fé foi tema de abertura da novela Roque Santeiro na voz de Moraes Moreira. Vinte e cinco anos depois ela volta na voz de Elza Soares que dá uma baile com suas divisões precisas e sua voz única.

4. O Elefante – Parceria de Fausto e Robertinho do Recife, O elefante fez a festa de muita criança hoje com mais de trinta anos. Aqui, Fernanda Takai traz a faixa lançada em 1981 no disco Satisfação (1981), de Robertinho, para o universo indie. A bateria tribal para a canção voltar a fazer a festa de muita gente.

5. Pão e Poesia – Faixa mais lenta do disco, Ivan Lins mantem a elegância em Pão e Poesia, antiga parceria de Fausto e Moraes Moreira. O violão é de Geraldo Azevedo.

6. Chão da praça – Emprestando seu sotaque timbaleiro, Carlinhos Brown azeita o chão da praça e faz desta uma das melhores faixas do disco.

7. Periga ser – Pontuada por um trombone safado de Jessé Sadock, a voz densa e soturna de Zé Ramalho ganha alegria nesta parceria de Fausto Nilo e Robertinho do Recife. A faixa foi pescada do disco Mulher nova, bonita e carinhosa faz o homem gemer sem sentir dor (1982), de Amelinha.

8. Eu também quero beijar – Mais uma perceria com Moraes Moreira, dessa vez com o reforço de Pepeu Gomes. Num arranjo mais experimental, Zeca Baleiro da sua versão para este sucesso lançado em 1981 no disco Pepeu Gomes.

9. Zanzibar – Jorge Vercilo enfeita pouco e faz bonito numa das mais famosas parcerias de Armandinho e Fausto Nilo lançada pelo antológico A Cor do Som.

10. Pedras que cantam – Parceria com Dominguinhos lançada em 1991 por Fagner. Moraes Moreira acrescenta pouco ao original e matem o pique do cearense.

11. Chorando e cantando – Para segurar o ritmo de carnaval, Fagner pega a antes densa e triste canção, dá uma chacoalhada e faz dela mais um frevo bonito.

12. Bloco do Prazer – Todos os convidade do disco voltam para cantar juntos este velho hit de Gal Costa. Para melhorar a situação, Robertinho do Recife, Armandinho e Pepeu Gomes duelam com suas guitarras.