Discografia

Maria Gadú em novo disco e tom insosso

Por Camila Holanda (@camilasholanda)

Depois de chegar  tímida ao cenário musical brasileiro e conquistar um grande público rapidamente, Maria Gadú apresenta o segundo álbum de inéditas e quarto disco da curta carreira. A paulista caprichou na produção gráfica de encarte e capa, porém, o produto bruto de Mais uma página é um tanto quanto cansativo, embora com participações especiais de Lenine, Dani Black e do português Marco Rodrigues.

Cantora e compositora, a reservada Maria Gadú traz 14 faixas no repertório, sendo oito autorais, assim como no primeiro álbum. Na verdade, não há muitas diferenças evidentes entre os dois, considerando que ela parece estar seguindo a mesma linha, com músicas sobre trajetórias da vida e o amor. Mas, não, desta vez, não há música-chiclete  no gênero de Shimbalaiê, composta por ela aos 10 anos.

O disco é introduzido por uma parceria de Gadú com o cantor, instrumentista e compositor Edu Krieger. Ele  tem músicas gravadas por outras cantoras, como Maria Rita, e lançou dois discos na carreira. A música No pé do vento é um tanto enfadonha para apresentar um CD,  mas isto já estava dentro do esperado. Gadú também apostou nas regravações de Anjo de guarda noturno (Miltinho Edilberto), Oração ao tempo, de Caetano Veloso (atualmente, compõe a trilha sonora da novela global “A vida da gente”) e Amor de índio (Ronaldo Bastos/Beto Guedes), conhecida pela interpretação do grupo Roupa Nova, embora seja mais intensa na versão de Beto.

A despeito do restante do disco, a faixa número 12 dá um genuíno afago aos ouvidos. A valsa (Maria Gadú) surpreende com uma letra bem trabalhada, harmonizando com a guitarra portuguesa lindamente tocada por José Manuel Neto. Na canção, o português Marco Rodrigues fica encarregado de dar um charme especial.

Apesar de tudo, deve-se ponderar, claro. Mesmo tendo lançado-se apenas no ano de 2009, a moça logo caiu nas graças do camaleão Caetano Veloso, músico influente sobre a trajetória de Gadú, e, juntos,  gravaram disco e DVD, em 2011, o Multishow Ao Vivo.  Além disto, as gravações dela são frequentes em trilhas sonoras de novelas, minisséries e até de um filme (Desenrola, dirigido por Rosane Svartman, em 2010).