Discografia

Expoentes da geração 90 completam 15 anos de carreira

Pra quem nasceu na estrada, não existe lugar melhor para comemorar aniversário. Esse é o caso dos mineiros do Jota Quest. Comemorando seus 15 anos de carreira, eles decidiram marcar a efeméride registrando em CD, DVD, Blu-Ray e especial para o canal Multishow a turnê nacional que seguiu o lançamento da coletânea Quinze.

Folia & Caos é o subtítulo do trabalho que chegou às lojas esta semana com o carimbo Multishow Ao Vivo. Registrado entre os meses de abril e dezembro de 2011, o especial segue um modelo meio documentário. Mostrando depoimentos da banda e momentos no camariam, com todos degustando uma boa cachacinha mineira. Um dos pontos altos do trabalho fica por dos muitos convidados que subiram nos muitos palcos por onde o quinteto passou. Seu Jorge, Ney Matogrosso, Erasmo Carlos e Maria Gadú são alguns.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=zl1zcHyb5E4[/youtube]

Outro debutante, este já tardio, a Nação Zumbi também escolheu o que melhor sabe fazer para comemorar seus 15 anos de carreira, completados em 2009. A diferença é que eles buscaram um terreno seguro para a festa, a Praça do Marco Zero de Recife. Lançado em CD e DVD somente agora, o show aberto fez mais de 80 mil pessoas pularem ao som de Corpo de lama e Maracatu atômico. O motivo de tanta demora foram os muitos problemas técnicos durante a gravação, que acabaram deixando seis músicas fora do DVD. Nada inclusive é percebido na edição final.

Também convidando seus amigos, a Nação Zumbi traz ao palco, para alegria dos pernambucanos, a tradição moderna do mestre Siba e a Fuloresta em Trincheira da Fuloresta. Já Rios, Pontes & Overdrives é dividida com o companheiro de manguebeat Fred 04, compositor da música ao lado do fundamental Chico Science (1966 – 1997). E Arnaldo Antunes também vira mangueboy em Antene-se, enquanto os Paralamas do Sucesso encerram a festa tocando Manguetown. Mas, se as participações dão um molho gostoso ao show, a Nação Zumbi também se basta sozinha. Basta ouvir a versão soturna do samba Jornal da Morte, de Miguel Gustavo. Uma forma pouco convencional de marcar 15 anos de vida.