Discografia

Lançamentos e relançamentos marcam o centenário de Luiz Gonzaga

787 1

Uma série de lançamentos e relançamentos está aproveitando o centenário de Luiz Gonzaga pra chegar às lojas. Segundo a gravadora Sony, dona do catálogo da extinta RCA, toda a discografia do Rei do Baião deve ganhar edição em CD à partir de setembro. Lançados em pequenos lotes, ao todo serão 58 discos, incluindo os inéditos em formato digital – Sertão 70 (1970), São João Quente (1972) e Luiz Gonzaga & Fagner (1984). Nesse pacote também devem ser incluídos os discos da fase Odeon, catálogo que atualmente pertence à EMI. Também está nos planos da Sony um disco de duetos póstumos, que vai unir digitalmente a voz de Luiz com a de artistas vivos. O mesmo já foi feito anteriormente com Clara Nunes e Renato Russo.

Entre os tributos, a Lua Music saiu na frente com 100 Anos de Gonzagão. O disco triplo reuniu uma penca de artistas em 50 versões inéditas de clássicos e composições obscuras do Rei do Baião. Apostando no ecletismo, o produtor Thiago Marques Luiz arregimentou vozes de todos os cantos da MPB para realizar um trabalho que liga a obra do homenageado com os mais diversos ritmos do Brasil. Entre os convidados, estão nomes consagrados, como Claudette Soares acompanhada do B3 Organ Trio (Baião de dois), Fafá de Belém (A volta da Asa Branca) e Elba Ramalho (No meu pé de serra), e jovens artistas, como Felipe Catto (A sorte é cega), Karina Buhr (Xanduzinha) e Gaby Amarantos (Cintura Fina). Nessa salada tropicalista, há ainda a presença curiosa de Elke Maravilha pondo sua voz rouca a serviço de Xote das meninas e Capim novo, ao lado do Trio Dona Zefa. Como em todo tributo, o disco vai de bons momentos, como a versão rocker de China para Siri jogando bola, até momentos mais insossos, como A vida de viajante com uma deslocada Zezé Motta. Ainda assim, ouvir Amelinha com a sofrida Légua tirana já paga a homenagem.