Discografia

“Cantoria” volta com quatro grandes nomes da MPB

1473 2

A música brasileira tem uma diversidade de clássicos que, ao longo dos anos, vão sumindo das prateleiras do mercado. Este é o caso do projeto “Cantoria”, que gerou dois volumes primorosos, reunindo os grandes músicos Elomar, Vital Farias, Geraldo Azevedo e Xangai (Eugênio Avelino). Porém, depois de anos fora de catálogo e desaparecidos das lojas tradicionais, eis que os dois CDs foram relançados, como resultado de numa parceria entre a Sony Music e a extinta Kuarup, gravadora que lançou os dois discos em questão e tantos outros clássicos de nossa música.

“Os violeiros vão cantar louvando você, em cantiga de amigo”, compôs Elomar, em forma de prenúncio. Foi em janeiro de 1984 que isto se concretizou. Quatro grandes cantores e violeiros do Brasil se reuniram no teatro Castro Alves (Salvador – BA) e, juntos, conseguiram transformar distintas formas de compor, tocar e cantar em um único trabalho. Foi, então, lançado o “Cantoria 1”. O quarteto de músicos saiu em turnê pelo Brasil e apresentou o show “Cantoria” em diversas cidades.

O sucesso foi tão grande, que após um ano, surgiu o segundo disco, desta vez com mais cinco cantorias inéditas. Nesta época, o grupo estava em perfeita harmonia musical. Um terceiro “Cantoria” também foi gravado, mas, nele, Elomar aparece sem os três parceiros de outrora, sendo um disco solo.  Destes trabalhos, canções ficaram marcadas, como “Sabor Colorido” (Geraldo Azevedo), “Moça Bonita” (Geraldo Azevedo), “Cantiga de Amigo” (Elomar), “Sete cantigas para voar” (Vital Farias) e “Ai! Que saudade de ocê” (Vital Farias). Estes são apenas alguns exemplos.

Os violeiros acabaram inspirando outros músicos a lançar, em dois discos, o projeto “Cantorias e Cantadores”. Além da participação de Elomar e Xangai, remanescentes do grupo original, participaram: Renato Teixeira, Eugênio Leandro, Cida Moreira, Pena Branca e Xavantinho, Vitor Ramil e Teca Calazans. Os CDs foram lançados no ano de 1997. Sobre o trabalho, um dos produtores de “Cantoria” e  “Cantorias e Cantadores”, Mario de Aratanha, escreveu: “Das noites do sertão ao amanhecer com a viola, das curvas do rio às ondas imensas do mar… soa um Brasil sem fim. Aqui, quatro cantos falam de tontas saudades, de jecas tristezas, de veneno e de mulher, de namoro viagem e perseguição”.

Relançamentos
“Cantoria” não é o único trabalho a ser relançado pela parceria entre Sony e Kuarup. Outros grandes discos da MPB retornam. São eles: ‘Pena Branca e Xavantinho’ (2002); ‘Pena Branca – Semente Caipira’ (2000); ‘Billy Blanco e Radamés Gnattali – Doutores em Samba’ (1996); ‘Renato Teixeira e Zé Geraldo – O Novo Amanhece’ (2000); ‘Sérgio e Odair Assad – Heitor Villa-Lobos, Obra Completa para Violão Solo’ (2001); e ‘Retratos – Radamés Gnattali – Vários Artistas’ (1990). Além deles, no pacote da Sony estão dois lançamentos: ‘Alice Caymmi – Alice Caymmi’, trabalho de estreia da filha de Danilo Caymmi; e ‘Lenine Guarani – Menino da Silva’.