Discografia

Abusando do machismo, Péricles lança Se eu largar o freio

2673 42

 

Próximo de lançar o segundo disco ao vivo da carreira solo, o cantor Péricles já adianta ao público um primeiro single. Composição de Carlos Caetano, Claudemir e Marquinho Índio, Se eu largar o freio é um pagodão bom de ritmo, mas que chama mais atenção pela excessiva dose de machismo da letra. Revelado no Exaltasamba, um dos mais famosos representantes da avalanche de bandas de samba adocicado dos anos 1990, Péricles tem boa parte do seu repertório formado por baladas apaixonadas tratando de amores feitos ou desfeitos. Se eu largar o freio vai por outro caminho e se resume a uma ameaça para a mulher que não lava mais os pratos nem engoma blusas a contento. “Se eu largar o freio, você não vai me ver mais. Se eu largar o freio, vai ver do que eu sou capaz”, diz o cantor. É bem verdade que o machismo está presente – nas mais variadas tonalidades – em muitas canções de muitas épocas. Dorival Caymmi (O que é que eu dou) e Vinicius de Moraes (Minha namorada), por exemplo, já escreveram canções que colocavam a mulher num papel menor, passivo ou submisso. A favor destes há apenas o argumento de que, em suas épocas, esse tipo de pensamento era mais comum (embora não menos condenável). Péricles é de outra época e não precisaria repetir o mau exemplo. Melhor ainda, poderia ele mesmo aprender a lavar louça e limpar o fogão.

Confira a letra de Se eu largar o freio (Carlos Caetano/ Claudemir/ Marquinho Índio):

Vou de casa pro trabalho
E do trabalho eu vou pra casa na moral
Sem zueira, sem balada, sem marola
Sem mancada eu tô legal
Faça sol ou faça chuva
O que eu faço pra você nunca tá bom
Pago as contas, faço as compras
Tudo bem eu sei é minha obrigação
Mas eu tenho reclamações a fazer
Mas eu tenho que conversar com você
Mas eu tenho reclamações a fazer
Mas eu tenho que conversar com você

A pia tá cheia de louça,
O banheiro parece que é de botequim
A roupa toda amarrotada
E você nem parece que gosta de mim
A casa tá desarrumada
Nenhuma vassoura tú passa no chão
Meus dedos estão se colando
De tanta gordura que tem no fogão

Se eu largar o freio, você não vai me ver mais
Se eu largar o freio, vai ver do que sou capaz
Se eu largar o freio, vai dizer que sou ruim
Se eu largar o freio, vai dar mais valor pra mim