Discografia

Daúde convida Alceu Valença para disco inédito, depois de 11 anos

unnamedCantora baiana que trocou o axé pela boa música dançante, seja samba ou disco music, Daúde assinou contrato com a gravadora Lab 344 para lançar Código Daúde, sucessor de Neguinha, te amo. Com 11 anos de espera, o novo disco de inéditas da cantora vai contar com a participação especialíssima de Alceu Valença numa releitura de Como dois animais. Música lançada pelo pernambucano em 1982, no disco Cavalo de pau, Como dois animais ganhou arranjo eletrônico amorfo, sem deixar perder o tom sensual da letra. Além de Alceu, Código Daúde vai trazer participações de Marcos Valle e Nelson Sargento.

Ainda pouco conhecida no Brasil, Daúde tem uma curiosa carreira discográfica. Em quase 20 anos de carreira, ela só lançou de fato três discos. O primeiro, de 1995, foi batizado somente como Daúde e deixou uma boa impressão com versões eletroacústicas de Eu só quero sair só (Lenine/ Mu Shebabi/ Caxa Aragão), Objeto não identificado (Caetano Veloso) e Véu Vavá (Celso Fonseca/ Carlinhos Brown). Dois anos depois, veio #2, ótimo disco que contou com várias participações especiais e abriu algum espaço nas rádios. Entre os convidados, estão Herbert Vianna (na deliciosa Une chanson triste), Carlinhos Brown (em Pata pata, o sucesso do disco), Djavan (em Vamos fugir, ainda tocando em rádios) e Nelson Sargento (na estupenda Sarambá/ Idioma Esquisito). Por fim, em 2003, ela lançou o balançado Neguinha, te amo, com inéditas e boas regravações.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=YM3GTi7S67o[/youtube]

Código Daúde já vinha sendo gestado há muitos anos. A julgar pela performance e boa voz da baiana (cujo nome de batismo é Maria Waldelurdes Costa de Santana Dutilleux), e pelo pelo single de estreia, há de vir um novo bom disco por aí.