Discografia

O punk invade o Dragão

HG6A5530“Bicho, é isso. Desejem sorte à banda neste processo. Por que eu passei muitos anos tocando e todo mundo dizendo que era vagabundagem. Até o ponto em que cheguei a quase acreditar nisso. Mas não, é trabalho. Prazeroso trabalho, no melhor sentido da coisa”. Escritas há cerca de um ano e meio, foi com essas palavras que Jonnata Doll encerrou o texto em que tratava das inseguranças, alegrias e colaborações que cercavam o início das gravações do disco de estreia dos Garotos Solventes.

O disco só ficou pronto agora e será apresentado a Fortaleza esta noite no show O mundo contra nós. Gravado ao vivo no estúdio cearense Magnólia, com produção de Yuri Kalil (Cidadão Instigado, Arnaldo Antunes), o disco Jonnata Doll e Os Garotos Solventes usa elementos do punk e do pós-punk para falar sobre o lado marginal da vida das grandes cidades. Jonnata Doll (voz), Saulo Raphael (baixo), Edson Van Gogh (guitarra), Léo Breedlove (guitarra) e Marcelo DenisDead (bateria) tratam de assuntos como drogas, taras, sexo e bares esfumaçados sem meias palavras ou amortecedores.

HG6A5856Reconhecido pela postura explosiva, andrógina e despudorada, um dos desafios de Jonnata Doll foi conseguir levar toda a energia do palco para o disco. “O primeiro passo foi o processo de gravação ao vivo escolhido pelo Kalil. A gente quis manter o velho estilo de fazer várias vezes e escolher o melhor take. Muita gente nem acredita que foi feito assim”, revela o cantor, por telefone. Ele conta ainda que o resultado não foi como planejado, mas isso foi ótimo. “Nem sei como imaginava, mas ficou surpreendentemente pop. Gosto muito do pop de qualidade, principalmente o pós-punk e o new wave. E você encontra isso em vários momentos no disco”.

Desde as primeiras composições até o disco ficar pronto, muitas histórias aconteceram na trajetória dos Garotos Solventes. Casos de amor desfeitos renderam as faixas Namorada fantasma e Esqueletos. Teve ainda a morte do integrante Jonas Bruno, que criou algumas linhas de teclado preservadas no disco. Mas também há coisas boas, como o apoio constante de Dado Villa-Lobos (Legião Urbana) e a participação da banda no festival Rec-Beat (Recife) em março deste ano. “Foi nosso maior público. Até onde a vista dava, eu via gente. Mesmo que nunca tivessem ouvido, as pessoas estavam dançando”, lembra o artista, que aproveitou para cantar Em plena lua de mel numa homenagem a Reginaldo Rossi (1944 – 2013).

Outra boa notícia foi a aprovação no laboratório de música do Porto Iracema, onde eles começaram a trabalhar com Alexandre Kassin. O produtor de nomes Jorge Mautner e Los Hermanos já está produzindo um segundo disco dos Garotos Solventes e um remix do primeiro. “Já tem uma coisa incrível que a gente está aguardando pra soltar”, comenta Doll, sem querer entregar os detalhes. Quanto ao show de hoje, ele não nega a empolgação e a preocupação em oferecer um espetáculo mais profissional. “É massa todo mundo ir por que pensamos em coisas que nunca tinha pensado antes, como cenário e iluminação própria”. Mas nada que tire a espontaneidade das conhecidas performances do vocalista. “Quanto a isso, eu continuo sendo aquele cara”.

Serviço:
Joannata Doll e Os Garotos Solventes
Quando: hoje (1º), às 21h
Onde: Anfiteatro do Dragão (Rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema)
Quanto: Grátis. Sujeito a lotação do espaço
Outras info.: 3488.8600 e 3488.8608