Discografia

Música em Cores: Nara Leão (1968)

408 1

naraleaoMuitos motivos fazem de Nara Lofego Leão Diegues um marco na cultura nacional, bem além da música. Contradizendo o sobrenome leonino, sua voz era pequena e doce, mas forte o suficiente para mandar seu recado. Moderna e dona de um faro aguçado, foi precursora da Bossa Nova e uma das responsáveis pela popularização do gênero pelo mundo.

Fora do banquinho e do violão, Nara também usou sua inteligência refinada para jogar luzes nos becos escuros da música brasileira. Uma pequena amostra disso está no disco Nara, lançado em 1968, em plena explosão da Tropicália. A antes musa da branda Bossa, agora era também musa do movimento incendiário liderado por Gil e Caetano. Neste disco, arranjado e regido pelo maestro Rogério Duprat, a cantora de Vitória, no Espírito Santo, passeia por um Brasil cheio de sons, épocas e histórias.

Do Ceará, ela pescou uma peça de Alberto Nepomuceno letrada por Juvenal Galeno. Dos baianos tropicalistas ela ganhou a trágica Lindonéia. Atendendo a um pedido da cantora, Vinicius de Moraes colocou letra no chorinho Odeon, pérola de Ernesto Nazareth. Entre oboés, fagotes, guitarras e baixos, Nara Leão viaja ao passado para encontrar Modinha, parceria de Heitor Villa-Lobos e Manuel Bandeira. Voltando para o futuro, ela parou em em 1940 para regravar Mulher, fox gravado com sucesso por Silvio Caldas e, 11 anos depois, novamente um sucesso na voz de Carlos Galhardo.

Para cada canção, Nara dava seu toque sutil, leve e corajoso. Sentindo bater no peito o desejo de mostrar o Brasil ao Brasil, ela deu voz aos morros cariocas, à praia de Copacabana e ao novo Nordeste que surgia compondo. Poucas foram como Nara e por isso ela deixa saudades.

Veja as faixas de Nara (1968):
1. Lindonéia (Caetano Veloso)
2. Quem é? (Joracy Camargo/ Custódio Mesquita)
3. Donzela por piedade não perturbes (J. S. Arvelos)
4. Mamãe, coragem (Caetano Veloso/ Torquato Neto)
5. Anoiteceu (Francis Hime/ Vinicius de Moraes)
6. Modinha (Heitor Villa-Lobos/ Manuel Bandeira)
7. Infelizmente (Ari Pavão/ Lamartine Babo)
8. Odeon (Ernesto Nazareth/ Vinicius de Moraes)
9. Mulher (Sadi Cabral/ Custódio Mesquita)
10. Medroso de amor (Alberto Nepomuceno/ Juvenal Galeno)
11. Deus vos salve esta terra santa (Caetano Veloso/ Torquato Neto)
12. Tema de “Os Inconfidentes” (Cecília Meireles/ Chico Buarque)

>> Mulher (Sadi Cabral/ Custódio Mesquita) por Carlus Campos

nara