Discografia

Cearenses concorrem ao Prêmio Dynamite de música independente

O Prêmio Dynamite de 2014 – que elege os melhores da cena independente nacional – tem oito cearenses indicados em cinco categorias. A votação popular pela internet fica aberta até o próximo dia 20 . Conheça e vote neles. 

A produção de música alternativa no Ceará cresce para além das dificuldades. Vide o 12° Prêmio Dynamite, o principal troféu do cenário independente do País. Oito bandas cearenses estão indicadas e entram na disputa concorrendo com músicos de todo canto do Brasil. Daniel Groove, Jonnata Doll e os Garotos Solventes e Selvagens à Procura da Lei são alguns dos nomes que figuram na lista de concorrentes das 22 categorias.

A primeira edição do Prêmio Dyamite de Música Independente foi lançada em 2002, surgindo da comemoração dos 10 anos da revista Dynamite. À época, o veículo já era uma das principais publicações sobre o gênero no País. Além de Groove, Jonnata Doll e Selvagens, os cearenses Mafalda Morfina, Verónica Valentino, Flagelo, Gstruds e Siege of Hate estão na disputa pelo troféu em diversas categorias. O Mambembe – Comida e Outras Artes também concorre como “Melhor casa de shows alternativos”. A seleção é feita pelos internautas no site do prêmio até o próximo dia 20.

“Esse ano, o Ceará apareceu com muita força em várias categorias, confirmando que vivemos um bom momento artístico e, com certeza, fico muito feliz de ser lembrado. Mas o gostoso mesmo é ter a sensação de que a música está chegando nas pessoas”, comemora Daniel Groove. O músico lembra, no entanto, que a produção no Estado carece de uma rotina mais dinâmica e isso acaba forçando alguns a expandir a carreira no Sudeste.

Cena independente
“Quanto a ter que morar ou não no eixo Rio-São Paulo, arriscaria aqui de olhos fechados que a maioria dos artistas indicados ao prêmio, do nosso estado ou de qualquer região do País, moram, moraram, ou já têm uma trajetória de trabalho que passe por lá”, aposta e acerta. O que Daniel fala é reafirmado por Luciana Lívia, da banda Mafalda Morfina. Há quatro anos morando em São Paulo, ela conta que o grupo decidiu partir para o Sudeste pela vontade de “expandir o trabalho” que já era realizado aqui há seis anos. “Queria enxergar na raça o que era esse tal papo de fugir da zona de conforto. Também sentia o desejo de gerar um público maior”, conta Luciana.

O designer gráfico Darwin Marinho, um dos donos do Mambembe, ressalta as possibilidades que os músicos têm atualmente na capital do Estado. “Acho que hoje existem formas de resistência que possibilitam a permanência na cidade. Não é fácil, tem shows que não se pagam por falta de público, mas não dá para desanimar”, diz. A programação do Mambembe inclui lançamentos de livros, feiras, exposições, festas e shows.

“Enxergávamos uma demanda na cidade. A gente via nossos amigos desenvolvendo projetos musicais incríveis e que tinham pouquíssimas oportunidades para se apresentar, aí resolvemos abrigar esses shows”, apresenta Darwin. De toda forma, a música cearense sabe se reinventar e encontrar nas dificuldades a matéria prima para virar tudo de ponta-cabeça. Daniel Groove resume: “sempre fomos um grande celeiro”.

Para participar
Qualquer pessoa pode se cadastrar no site e votar:
http://www.premiodynamite.com.br/comovotar.asp

CEARENSES INDICADOS

Melhor álbum de heavy metal

Necrofilia, da Flagelo – (CE)
Formada em 1995, a banda tem a proposta de fazer um som heavy metal autoral em Fortaleza. O EP (Extended Play) Necrofilia foi lançado em 2012 e tem cinco músicas. O disco está indicado na seção de “Melhor álbum de heavy metal” do prêmio.

Only Tia Gertrudes is real,  da Gstruds
O trash metal de Gstruds traz um underground bem humorado à tona esse primeiro álbum da banda cearense que concorre ao Dynamite. A guitarra nervosa do grupo dá o tom às letras ácidas do disco, que misturam crítica social, canibalismo e zumbis nas nove faixas.

Animalism, da Siege Of Hate
A inspiração buscada pela banda foi encontrada no livro de George Orwell, A Revolução dos Bichos. Sonoridades e letras carregadas são a marca desse disco, lançado no ano passado e elogiado por quem aprecia o heavy metal nacional.

Melhor álbum de MPB

Giramundo, de Daniel Groove
As polaridades rock e brega de Daniel Groove são apresentadas no primeiro disco solo do ex-vocalista da banda O Sonso. Lançado em 2013, Giramundo tem a produção do paraense Saulo Duarte e concorre na categoria “Melhor álbum de MPB”.

Melhor álbum de rock

Jonnata Doll e os Garotos Jonnata Doll e os Garotos Solventes, da banda homônima
Vencedores da Mostra Petrúcio Maia e classificados pela revista Rolling Stone como “discípulos de Iggy Pop”, Jonnata Doll e os Garotos Solventes concorrem com o disco que leva o mesmo nome da banda na categoria “Melhor álbum de rock”.

Carrossel Estático, da Mafalda Morfina
O segundo CD da banda Mafalda Morfina também concorre na categoria “Melhor álbum de rock” com outros conterrâneos. O grupo surgiu em 2004 e participou dos principais festivais do Ceará, como Ponto CE, Rock Cordel e Feira da Música.

Melhor casa de shows alternativos

Mambembe
Com endereço na rua dos Tabajaras (Praia de Iracema), o Mambembe foi inaugurado em abril de 2013 e, desde então, aposta na efervescência cultural da cidade como protagonista da programação. São lançamentos de livros, shows, festas, feiras e exposições que fazem parte dessa nova fase da Praia de Iracema.

Personalidade

Verónica Valentino, do Verónica Decide Morrer

Cantora e atriz, Verónica está à frente dos vocais na banda Verónica Decide Morrer, que ficou em primeiro lugar na última edição Mostra Petrúcio Maia. Travesti, ela levanta a polêmica discussão sobre gêneros e seu lugar na sociedade, para além de estigmas.