Discografia

Música em Cores: Mustang Côr de sangue

Marcos Valle - Mustang Cor de Sangue 1969Filho de uma segunda geração de compositores da Bossa Nova, Marcos Valle estreou em 1963 com Samba demais, um requentado das ideias de Tom Jobim e João Gilberto. Tempos depois, o carioca expôs sua porção política em Viola enluarada, do verso antológico “A mão que toca um violão se for preciso faz a guerra”, cantado por Milton Nascimento.

E foi pouco antes de protestar contra os militares que governavam o Brasil que Marcos Valle conheceu a América, viajando pelos Estados Unidos à bordo do Brasil’65 de Sérgio Mendes. Convivendo com os sons do funk, soul, Motown e Hollywood, o brasileiro trouxe na mala um monte de ideias que deram no disco Mustang cor de sangue, lançado em 1969 pela gravadora Odeon.

Ao lado do irmão/parceiro/letrista Paulo Sérgio Valle ao lado, Marcos Valle fez um disco pop usando orquestrações cinematográficas, ritmos envenenados e críticas ao consumo desenfreado. Essa mistura samba-soul-funk ainda faria a cabeça de outras estrelas da época, como Wilson Simonal, Evinha e Elis Regina. Todos dispostos a pegar uma carona no mustang cor de sangue de Marcos Valle.

Envolto naquele manto setentista de melancolia, paz e amor, Mustang cor de sangue traz o ritmo acelerado de Azimuth, a voz translúcida de Milton Nascimento em Diálogo, a alegria ensolarada de Os dentes brancos do mundo, a grandiloquência poética de Catarina e o vento e um auto-explicado Frevo novo. Até um segundo Samba de verão foi registrado, para falar que o tempo passa e deixa saudades.

Resistindo ao tempo, as ideias modernas de Mustang cor de sangue deram o start num caminho pop que guiaria a carreira de Marcos Valle dali em diante. Ainda hoje, inclusive, quando ele é um nome celebrado internacionalmente, citado por jovens estrelas do jazz, como Diana Krall e Stacey Kent.

Veja as faixas de Mustang cor de sangue (1969):
1. Mustang cor de sangue (Paulo Sergio Valle/ Marcos Valle)
2. Samba de verão 2 (Paulo Sergio Valle/ Marcos Valle)
3. Catarina e o vento (Arnoldo Medeiros/ Marcos Valle)
4. Frevo novo (Paulo Sergio Valle/ Novelli/ Marcos Valle/ Taiguara)
5. Azimuth (Novelli/ Marcos Valle)
6. Dia de vitória (Paulo Sergio Valle/ Marcos Valle)
7. Os dentes brancos do mundo (Paulo Sergio Valle/ Marcos Valle)
8. Mentira carioca (Paulo Sergio Valle/ Marcos Valle)
9. Das três às seis (Paulo Sergio Valle/ Marcos Valle)
10. Tigre da Esso que sucesso (Paulo Sergio Valle/ Marcos Valle)
11. O Evangelho segundo San Quentin (Paulo Sergio Valle/ Marcos Valle)
12. Diálogo (Paulo Sergio Valle/ Marcos Valle/ Milton Nascimento)

>> Samba de verão 2 (Paulo Sergio Valle/ Marcos Valle) por Carlus Campos

MARCOSvale