Discografia

As dores e os amores de Dolores Duran

1286 2

DDuran_média2

* Não sei se eu já havia publicado esse texto. Se estiver repetido, me desculpem

Dolores Duran teve vida e obra curtíssimas. Nascida Adiléia Silva da Rocha, em 7 de junho de 1930, ela teve apenas 29 anos para construir uma obra inesquecível. Carioca boêmia, sua vida gerou músicas como A noite do meu bem, O negócio é amar e Estrada do sol. Os sentimentos colocados nessas canções tinham forte elemento autobiográfico, uma vez que ela era uma namoradeira com reconhecido talento para iniciar e finalizar relacionamentos.

Além das canções, o projeto Duas Noites para Dolores Duran relembra essas histórias trágicas e cômicas da compositora e intérprete brasileira que faleceu em 24 de outubro de 1959. Lançado em CD e DVD duplos pelo Canal Brasil, a homenagem foi registrada em dois momentos, um em São Paulo (em 12 de novembro de 2012) e outro no Rio de Janeiro (em 5 de março de 2013), e contou com um elenco estrelado que inclui nomes como Elba Ramalho, Cida Moreira, Cauby Peixoto e Márcia Castro.

enc cd DOLORES.inddCom produção, direção e condução do jornalista Rodrigo Faour, autor da biografia Dolores Duran – A noite e as canções de uma mulher fascinante (Ed. Record), o tributo seduz o espectador pela informalidade e pelas histórias contadas por pessoas que conviveram com a homenageada. É o caso de Doris Monteiro, que lembra de um diálogo que teve com a compositora de Fim de caso sobre bebidas e cigarros. “Mas você bebe e fuma muito”, perguntou ela a Dolores. “Você bebe? Você fuma? Não? Mas vai morrer igual a mim”, ouviu como resposta.

Outro convidado, responsável por abrir a noite carioca, é João Donato. Namorado de Dolores quando tinha por volta de 18 anos (ela era quatro anos mais velha), o pianista lembra uma das músicas preferidas que a amada gostava de interpretar quando ia à sua casa. Trata-se de Too young, sucesso na voz aveludada de Nat King Cole (1919 – 1965). Em seguida, Donato acompanha Leny Andrade numa ótima performance em Estrada do Sol. Música à parte, Leny protagoniza um dos momentos mais hilários de Duas Noites para Dolores Duran ao elogiar o sapato de Elba Ramalho (um Scarpin). “Um sapato desses tem que fazer curso para usar”, comenta a carioca.

Enquanto o show no Rio de Janeiro contou com nove artistas, a noite paulista trouxe três a menos. Ainda assim, é musicalmente mais organizada. Tem Claudette Soares esbanjando suingue em Tome continha de você e A banca do distinto e Cida Moreira dividindo O negócio é amar com Edu Alves. Mineiro criado no Recôncavo Baiano, Edu ainda recebe elogios de Cauby Peixoto que o chamou de “Caubyzinho”. E é Cauby quem encerra o projeto em dueto com sua amiga Angela Maria. Juntos, eles fazem Por Causa de Você e Ternura Antiga.

crédito|Paulo Guimarães

Mesmo sendo um nome bastante celebrado, Duas Noites para Dolores Duran é o primeiro trabalho em DVD sobre a obra da artista que abriu espaço para a mulher entre os grandes compositores brasileiros de sua época. Por conta da biografia escrita por Faour – também responsável pela caixa que reuniu os discos gravados por Dolores – e outros tributos, como o gravado por Nina Becker em 2014, a obra desta órfã de pai, que cedo teve que se virar para sustentar a família, se mantém viva e lembrada. Não tivesse partido cedo, vítima de ataque cardíaco enquanto dormia, outras joias musicais teriam saído de sua inspiração e mais homenagens viriam para enfeitar sua noite.