Discografia

Bruna Góes assume sua paixão por Amy Winehouse no Teatro RioMar

27 e 28/07/2012 - Bruna Góes e banda (Tributo Amy Winehouse) - TACAmy Winehouse é dessas artistas que chegam para mudar o rumo da história. Fazendo jazz e soul com um olhar contemporâneo, a cantora londrina tornou-se a sensação da música mundial deste século. Ícone da moda, alvo de paparazzis e fofocas, sucesso absoluto de vendas e dona de um estilo suicida de viver, a responsável pelo disco Back to Black foi um susto na indústria fonográfica, que chegou, deu seu recado e partiu aos 27 anos, vitimada por problemas de saúde causados por bulimia e abuso de drogas.

Bem antes de Amy se tornar uma referência cultural das últimas décadas, a cantora Bruna Góes já havia se encantado com o jeito particular dela fazer música. Esse encanto transformou a estudante de publicidade em cantora e, em seguida, a admiração virou homenagem no espetáculo Back to Amy, em cartaz neste hoje e amanhã, 17, no Teatro RioMar. Com figurinos, cenários e banda seguindo o roteiro do DVD I Told You I Was Trouble, tudo no show é feito para celebrar a memória a trajetória da autora de Rehab.

“No Sul, eu era conhecida como Amyzinha. Sou muito fã dela e foi por isso que fui ser cantora”, confirma a artista de 23 anos que cresceu cercada de música (o avô materno violonista é violonista clássico), mas nunca planejou ser cantora. Mas, um acaso puxou outro. Primeiro veio a admiração por Ray Charles, depois a curiosidade por pessoas influenciadas por ele. Em meio às pesquisas, ela se deparou com um vídeo de Amy e o impacto absoluto. “Era soul, jazz, r&b, tudo com outra roupagem. Achei muito genial a forma como ela conseguiu sintetizar tudo. Fiquei alucinada”, lembra Bruna.

E foi na faculdade que um amigo chamou Bruna para participar de um show cantando Amy. Ela insistiu que não cantava, mas foi convencida pelo caráter informal do projeto. O fato é que a entrega foi tanta que o tributo chamou a atenção do público e da imprensa. “E eu nem sabia que queria ser cantora. Acabei indo e descobri minha grande paixão”, diz a catarinense que participou da edição de 2013 do The Voice.

No entanto, se a primeira homenagem a Amy era marcada pela informalidade, o show Back to Amy tem outro papel. “Um pedido da produção foi de buscar os timbres, melismas iguais aos dela. Ih, meu deus do céu! Eu tinha que ficar estudando as dancinhas, coisas que já conhecia intuitivamente. Esse é o maior desafio. Não de trazer ao palco, mas de estudá-la”, comenta a artista que sempre se emocionava vendo os vídeos de Amy. O resultado do esforço foi tão positivo que até Zalan Thompson, companheiro de palco da homenageada, elogiou o trabalho da brasileira.

Feliz com a boa repercussão de Back To Amy, Bruna Góes não esconde outro desejo: finalizar o primeiro CD autoral. Tudo estava pronto, quando alguns contratempos – incluindo uma caxumba – interromperam o projeto. Aí veio o convite para interpretar Amy Winehouse. “O nome seria Unissex e vai reunir letras minhas com músicas de parceiros, e algumas de compositores de Florianópolis, como Gabriel Veppo, François Muleka e André Stahnke”, adianta Bruna, acrescentando que jazz, blues e soul fazem parte dos temperos do disco. Como uma boa discípula de Amy Winehouse, isso não poderia ser diferente.

Serviço:
Tributo Back to Amy
Quando: hoje, 16, e amanhã, 17, às 21 horas
Onde: Teatro RioMar (Rua Lauro Nogueira, 1500 – Papicu)
Quanto: R$ 80 (Plateia Alta) e R$ 100 (Plateia Baixa). Preços de inteira
Telefone: 3244 2688