Discografia

Depois de quatro anos, Nando Reis lança o inédito Jardim-Pomar

10000x10000-339885fa070285e83a110fb5a7066ae3Há 13 anos, Elza Soares gravou pela primeira e única vez uma música de Nando Reis. A faixa Concórdia entrou para o disco Vivo Feliz e contou com um belíssimo dueto da sambista com o roqueiro. Com a pouca repercussão do álbum (moderno demais para os fãs de Elza?), a balada cheia belas imagens poéticas ficou guardada num escaninho da música brasileira até este ano, quando ganhou uma regravação e até cedeu um verso para batizar o novo álbum do autor.

Lançado em streaming, CD, LP e K7, Jardim – Pomar é o oitavo disco de estúdio do compositor de 53 anos e chega quatro anos depois do seu antecessor, Sei. Lançado de forma independente pelo selo Relicário, o álbum traz 11 faixas inéditas – uma delas em duas versões – e uma regravação (Concórdia). A produção coube aos norte-americanos Barrett Martin e Jack Endino, com co-produção de Felipe Cambraia, baixista dos Infernais. Barrett já trabalhou ao lado de estrelas como R.E.M. e Queens Of The Stone Age e tocou com Nando em vários momentos da carreira solo. Já Endino é figura fundamental para o grunge, tendo produzido Bleach (Nirvana), e trabalhou em vários álbuns dos Titãs de 1993 a 2001.

46397273Repleto de referências musicais e pessoais, Jardim – Pomar traz o mesmo Nando Reis já íntimo dos fãs em muitas versões sonoras. “Esse nome é bastante significativo do conteúdo do disco, já pela ideia de que jardim tem árvore, que gera fruto, e pomar tem flores. O disco nada mais é que um fruto da criação”, explica o músico que, na colheita, misturou ritmos que vão do funk às baladas que fazem festa no rádio. Neste segundo quesito, Só Posso Dizer encaixa sem arestas nos corações apaixonados e aparece em duas versões, uma mais pop gravada em São Paulo e outra mais lenta em Seattle.

Na salada de ritmos, Infinito Oito é um rock grooveado, marcado por um forte riff de guitarra, feito para abrir Jardim – Pomar. A cadência simpática de Inimitável sugere uma conversa de casal, mas pode ganhar outros contornos quando ouvida depois de Deus Meu, que fala das inquietações metafísicas do compositor numa das melhores letras do disco. Faixa mais badalada do disco, Azul de Presunto conta com o reforço vocal de Pitty, Luiza Possi, Tulipa Ruiz, dos filhos Zoe, Theo e Sebastião Reis, e dos ex-companheiros de banda Arnaldo Antunes, Branco Mello, Sérgio Britto e Paulo Miklos. “Foi uma farra. Fiquei muito feliz deles aceitarem”, celebra Nando que há 15 anos não entrava em estúdio com os Titãs.

Ponto alto do disco, Pra Onde Foi escancara a influência de Neil Young na obra de Nando Reis. “Óbvio que foi intencionalmente. Até gravei as duas guitarras de pergunta e resposta. E o Mike McCready (que participa da faixa) gravou com o Neil Young. Ela também me remete ao David Crosby. O disco é todo feito de referências”, comenta. Da lavra apaixonada, 4 de Março é uma data com significado íntimo para o casal Nando e Vania Passos, e foi dada a ela como presente de aniversário (que é em 14 de fevereiro). O tom confessional segue em Como Somos, parceria com Samuel Rosa, que fala sobre nascer, crescer e reproduzir, e é uma sobra do último disco do Skank. Em seguida, Água-Viva baixando o tom num arranjo de violões e cordas que é só delicadeza..

Outro destaque do disco, Lobo Preso em Renda também tem algo de Neil Young no vocal épico que dispara frases como um repentista turbinado. Cabe ao ouvinte encontrar significados nelas. “Essas canções não são antagônicas, mas complementares. Isso é mais uma forma do binômio jardim-pomar”, comenta Nando Reis sobre escrever mensagens extremamente claras e outras codificadas e imagéticas. “Embora sejam lados distintos, eu sou um sujeito muito imagético, barroco. A intenção é mais a busca da melhor forma de expressá-las”.

Serviço:
Nando Reis – Jardim – Pomar
Participações de Peter Buck, Tulipa Ruiz, Arnaldo Antunes e outros
13 faixas
Independente
Preço médio: R$ 24,90 (CD), R$ 39,90 (K7) e R$ 95,90 (LP)