Discografia

Estante de Discos: Especial nacional

MENESCAL EM DOSE DUPLA

Os 80 anos recém completados, Roberto Menescal comemorou como gosta. Primeiro ganhou e participa de uma homenagem feita pelo Quarteto do Rio (ex-Cariocas). Mr. Bossa Nova (selo Mins) reúne 10 músicas de Menescal, entre clássicos (Rio, Nós e o Mar) e inéditas. O segundo é um clichê que sempre funciona. Bossa Nova Meets The Beatles (Deck Discos) reúne 11 faixas de diversas fases do quarteto inglês e com participações de Bruno Gouveia (Biquini Cavadão, em She Loves You), Andy Summes (ex-The Police, em Yesterday) e do cantor estreante Cláudio Duarte. O resultado para os dois trabalhos é bem diferente. Embora Menescal seja um violonista experiente na sua seara, ele soa mais como coadjuvante num projeto que tem irmãos gêmeos espalhados pelo mundo todo. O formato também se parece com muitos projetos já lançados por ele, sempre com um intérprete novo que ele apadrinha interpretando um repertório de clássicos. Vale mais pela curiosidade, enquanto Mr. Bossa Nova é pura alegria. O encontro dos remanescentes do lendário Os Cariocas (que hoje atendem por Quarteto do Rio) com Menescal é homenagem que eleva o nome do bossanovista ao patamar que ele merece. Se você não for um fino conhecedor das composições desse mestre, fica difícil separar o que é novidade com o que é clássico. Da capa – que remete ao estilo da gravadora Elenco – ao instrumental, tudo é sofisticado sem perder a ternura.

O AMOR SEGUNDO CLAUDETTE SOARES

Depois de algumas décadas sem lançar LP, Claudette Soares volta a este formato com Canção de Amor (Kuarup). Com produção do certeiro Thiago Marques Luiz e inspirado no livro A Noite do Meu bem (Ruy Castro), que vasculha o ambiente em que nasceu o samba-canção, a intérprete carioca de 80 anos derrama elegância sobre 21 faixas pautadas pela dor de cotovelo e amores escancarados. Até Quem Sabe, Canção de Amor e Foi a Noite estão entre elas. Claudette, com seu canto rouco chic, é experiente e estava merecendo um com arranjos bem feitos, capa bonita e repertório à altura da sua experiência. O mote do livro foi bem na mosca. O som típico das boates da década de 1950 marca o trabalho lançado em CD no ano passado, que fecha com Resposta ao Tempo, canção lançada em 1998 por Nana Caymmi num disco de mesmo nome. Embora deslocada no tempo do resto do repertório, o bolero é um desfecho perfeito para um álbum que fala sobre o tempo nas entrelinhas.

GISBRANCO E CHICO CÉSAR JUNTOS

Formado pelas pianistas Bianca Gismonti e Claudia Castelo Branco, o duo Gisbranco está lançando Pássaros. O álbum traz 15 melodias da dupla para poemas inéditos de Chico César. Sem medo de soar sofisticado, o disco tem inspiração erudita em arranjos de André Mehmari, Jaques Morelembaum e outros. Além do duo, Pássaros tem participações de participações de Mônica Salmaso, Maria João, Sergio Santos e Eugenio Dale. “Minhas mensagens pra elas foram transmutadas numa cantata amorosa de muitas vozes. Para todos. Polifonia dos afetos. E sinto a força das canções. E sinto um amor imenso pelo Brasil”, celebra Chico César na apresentação.