Discografia

Estante de Discos: Estreias

NAYARA RODRIGUES LANÇA TIPO ASSIM
Entre os mais aguardados do Festival Vida&Arte, o show Os Cearenses será apresentado no Palco Sérvulo Esmeraldo, no sábado, 23, às 20 horas. A apresentação é baseada num projeto lançado pela Fundação Demócrito Rocha, que realiza docudramas sobre personagens e momentos importantes da história cearense. A última temporada foi dedicada à música de Fagner, Ednardo, Fausto Nilo e tantos outros, tudo com arranjos inéditos e interpretações da nova geração da música cearense. Dessa turma nova, Nayara Rodrigues foi convidada para interpretar Traduzir-se, música que deu nome ao disco de Fagner lançado em 1981.

Com a boa repercussão dos Cearenses, Nayara, que vinha se dedicando a outros projetos, decidiu voltar a dar atenção à música. O resultado desse retorno é Tipo Assim, single que ela vem apresentando em shows pela cidade. Composição própria, a balada ganhou arranjo e produção de Ronaldo Pessoa, também responsável pelo projeto Os Cearenses. Já com clip disponível no Youtube, Tipo Assim é um primeiro passo de um trabalho autoral de Nayara que logo vai ganhar continuidade. Aguardem.

BI SANTANA LANÇA EP DE ESTREIA NA CULTURA
A cantora cearense Bi Santana lança neste sábado, 16, seu EP de estreia na Livraria Cultura. A apresentação começa às 17 horas e tem entrada franca. Publicitária de formação e experiente em assessoria de comunicação, Bi Santana traz nesse primeiro EP uma reunião de experiências por vários lugares do mundo, incluindo a Coréia do Sul, onde ela descobriu e adotou o ukulele. Ex-aluna de Maninha Motta, Bi Santana apresenta seis composições próprias – Gulosa, sim, Talvez, Anoitecer, Silêncio amiúde, Edital e Carta ao mar, que ficou em primeiro lugar, como canção original, em um concurso nacional de ukulele em 2017. A arte da capa do EP é da artista plástica Raissa Christina.

LULU E JOTA QUEST EM FORTALEZA

Dois shows nacionais estão com datas marcadas para chegarem a Fortaleza no próximo semestre. O primeiro acontece em agosto, dia 25, quando o Jota Quest apresenta sua turnê acústica no Espaço Jangada (Iguatemi). Lançado em 2017, o disco Acústico reuniu regravações de canções lançadas em 22 anos de carreira, todas puxadas no violão, baixo acústico e bateria. O trabalho não gerou o burburinho que outros álbuns acústicos provocaram décadas atrás, quando a MTV lançou a moda e fez fortunas financeiras artísticas. Ainda assim, despir canções populares de arranjos elétricos costuma render simpatia e já teve ótimos resultados. Os ingressos para o show Acústico Jota Quest – Músicas Para Cantar Junto custam R$140 (inteira).

Em seguida, no dia 8 de setembro, Lulu Santos apresenta o show Canta Lulu no Aquaville. O show é aquele mais do mesmo do compositor, cantor e guitarrista carioca. Um enfileirado de clássicos do pop rock nacional acumulados há mais de 30 anos. Lulu já foi entronado como um rei do pop nacional e gerou clones à exaustão. O sucesso é merecido, por que ele elevou a qualidade do que se faz nessa seara. Por conta de questões mercadológicas, que vêm há bons anos priorizando o que existe de mais ralo e efêmero, e por conta de ele mesmo ter se isolado em trabalhos cada vez mais concentrados num universo particular, Lulu chegou aos 65 anos como uma sombra do que era em termos de popularidade – para as novas gerações, ele é pouco mais que um jurado do The Voice. Tanto que seu disco cantando sucessos de Rita Lee nem aparece como chamariz para o show de Fortaleza.

Mas o disco é bom? É um desejo antigo de Lulu gravar Rita Lee, mas o resultado é abaixo do possível. Rita tem repertório pra ser explorado com mais coragem por um fã assumido que lhe devota admiração há tantos anos. Ainda assim, algumas baladas entraram nas rádios e as canções de Rita serão recebidas com prazer pelo público, que deve cantá-las com vontade. Fora isso, pouco deve ficar na lembrança da música brasileira.