Educação

MEC avisa: expansão das universidades está condicionada à boa avaliação dos cursos

Como foi bem avaliada, a UFC terá prejudicado os seus projetos de expansão. No Campus do Pici (acima) devem pintar novos cursos. Foto: Nelson Bezerra/DIVULGAÇÃO/UFC

Como foi bem avaliada pelo MEC, a UFC não terá prejudicado os seus projetos de expansão. Foto: Nelson Bezerra/DIVULGAÇÃO/UFC

Foi destaque nos principais jornais e portais jornalísticos do País nesta quinta-feira (3) a notícia de que o Ministério da Educação (MEC) terá tolerância zero com as instituições que apresentarem desempenho abaixo do satisfatório no índice geral de cursos (IGC) e no índice de cursos (IC), avaliações que ajudam a medir a qualidade do ensino de nível superior. O MEC determinou que as instituições que receberem nota abaixo 3 (numa escala de varia de 1 a 5) estarão impedidas de abrir novos cursos e ampliar a oferta de vagas.

Os primeiros resultados dessas medidas já começam a aparecer. Após a divulgação do ICG e IC, nesta semana, cerca de 2,5 mil vagas em 83 cursos de graduação serão cortadas e 357 cursos deixarão de ser abertos em instituições de educação superior, que apresentarem desempenho insatisfatório, conforme anunciou secretária de educação superior do Ministério, Maria Paula Dallari Bucci.

Além de não poderem ampliar a oferta de vagas, os processos de reconhecimento e renovação de reconhecimento dos cursos dessas instituições ficarão paralisados até que elas melhorem a qualidade do ensino. As medidas são válidas para os cursos e entidades que tiveram o baixo desempenho confirmado por visitas in loco e que não podem mais recorrer da decisão.

O prazo para que elas “coloquem ordem na casa” é junho de 2010. Até lá, as instituições devem implementar mudanças baseadas nas deficiências apontadas pelas avaliações do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Caso não melhorem, podem ter cassados os pedidos de reconhecimento de cursos.

Para nós, a boa notícia é que a Universidade Federal do Ceará (UFC) foi bem avaliada e, portanto, os projetos de expansão que estão previstos pela instituição, com abertura de novos cursos e vagas, estão confirmados.


Bruno Anderson Balacó – brunobalaco@opovo.com.br