Educação

Família de leitores

A presença efetiva da família no ambiente escolar ajuda diretamente o desempenho escolar de crianças e jovens. É o que aponta pesquisa do Ministério da Educação, a partir do cruzamento das notas em Português e Matemática com as respostas ao questionário socioeconômico do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica, o Saeb.

Estudantes cujos pais se interessam pelo estudos têm notas mais altas. O exame foi aplicado a 300 mil estudantes do 5º e 9º ano do Ensino Fundamental e 3º do Ensino Médio das redes pública e privada.

Os alunos do 5º ano que declararam que sempre veem a mãe lendo obtiveram média 20 pontos maior em Língua Portuguesa (172,6 contra 152,6).

No caso dos pais que cobram a lição de casa, os alunos tiveram, em média, 14 pontos a mais do que os outros (159,6 a 173,9) em Matemática.

Isso é bastante óbvio mas não é praticado pelas famílias e escolas. Como exigir crianças e jovens leitores se não temos adultos leitores? Eu acredito que hoje em dia as crianças e os jovens são muito mais leitores do que os pais. Primeiro porque são obrigados a ler o que a escola e o currículo exigem, segundo porque há uma infinidade de meios de leitura, como revistas, quadrinhos, jogos eletrônicos, internet e suas mídias sociais, músicas e muitos livros voltados exclusivamente para seus públicos específicos.

Acho que daqui há pouco faremos uma campanha para termos pais, ou seja, adultos leitores. Isso sim seria um desafio! Por falar nisso, quantos livros você leu esse ano? Alguma revista? E jornal, com que frequência lê? Hiii, acho que a leitura desse post vai parar por aqui…

Fonte: O Dia (RJ)