Educação

Educação sexual

Uma pesquisa realizada pelo departamento de pediatria da Universidade de Montreal, no Canadá, confirmou que quanto mais os pais conversam com os filhos sobre sexo, menos eles são sexualmente ativos.

O estudo ouviu cerca de 1,1 mil adolescentes entre 14 e 17 anos e 45% afirmaram que obtêm informações sobre sexo com os pais e 32% com os amigos.

Entre aqueles que mantêm um diálogo aberto com os progenitores, 18% são sexualmente ativos.

No grupo dos que não falam com os pais sobre sexo, o dobro (37%) já praticou algum ato sexual.

 A porcentagem de jovens que se relaciona com parceiros ocasionais também é maior entre os que não falam sobre sexo com os pais (41%) comparada com os que falam (29%).

Brasil – No Brasil, o comportamento dos jovens segue a mesma tendência. No estudo Juventudes e Sexualidade, realizado pela Unesco em 13 capitais brasileiras e no Distrito Federal, mais de 40% dos adolescentes do País revelaram que obtêm informações sobre sexo com os pais.

E dois terços dos quatro mil pais ouvidos na pesquisa confirmaram que já falaram sobre o assunto com seus filhos. Entre os temas discutidos estão a prevenção a doenças sexualmente transmissíveis, métodos para evitar a gravidez e os aspectos biológicos do sexo.

 “Mas só isso não basta”, afirma a sexóloga Carmita Abdo, coordenadora do Programa de Estudos em Sexualidade (Prosex) da Universidade de São Paulo.

Fonte: Revista Istoé