Educação

Polícia Federal investiga novas rotas de tráfico de pessoas

O desejo de se tornar jogador de futebol ou modelo alimenta uma indústria de tráfico de pessoas que faz dos adolescentes brasileiros as principais vítimas. A Polícia Federal já investiga 120 casos, abertos entre 2010 e 2011 que também incluem o aliciamento para prostituição, venda de órgãos, adoção ilegal e trabalho escravo, segundo a chefe da Unidade de Repressão ao Tráfico de Pessoas da PF, Vanessa Gonçalves Leite de Souza. As rotas incluem os estados do Norte e do Nordeste com destino ao Sudeste e países da Europa e do Oriente Médio. Duas comissões parlamentares de inquérito (CPIs) na Câmara dos Deputados e no Senado Federal investigam o tema. Os aliciadores dos adolescentes que pretendem seguir carreira como jogadores de futebol, por exemplo, agem com a promessa de conseguir, em categorias de base, grandes contratos.

Fonte: O Globo