Educação

Pequenas vítimas de governos corruptos e armados

371 1

Aquela história de que a corrupção, literalmente mata, está longe de ser força de expressão ou exagero dos militantes sociais mais exaltados. Pesquisa desenvolvida na Universidade de Cincinnati, nos Estados Unidos, analisou dados de 148 países durante o período de 12 anos e provou, em números, que as nações que apresentam uma forte militarização pretoriana e governos corruptos sofrem com elevadas taxas de mortalidade de crianças com menos de cinco anos.

No ranking, os cinco piores índices foram todos de países africanos: Serra Leoa, Nigéria, Congo-Brazzaville, República Democrática do Congo e Chade. Já as menores taxas de mortalidade de crianças relacionadas à forma de governança ficaram com Cingapura, conhecida por ser a nação menos corrupta da Ásia, seguida da Coreia do Sul, da Finlândia, da Ilha Chipre e da Áustria.

Cenário nacional– O Brasil foi um dos analisados e ficou com uma pontuação mediana referente à administração dos recursos públicos e à qualidade de vida da população.

Apesar de ter alcançado os índices de redução de mortalidade infantil (crianças com até um ano) definidos pelas metas dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio da ONU (Organização das Nações Unidas), a corrupção na saúde desviou R$ 2,8 bilhões nos últimos nove anos, de acordo com a Controladoria-Geral da União (CGU).

O valor é referente aos 3.522 processos de Tomadas de Contas Especiais (TCEs) instaurados pelo Ministério da Saúde.

Fonte: Correio Braziliense