Educação

Infância: uma prioridade absolutamente esquecida

Aos olhos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a infância é prioridade absoluta. Mas a realidade choca e está muito longe do que a Constituição Federal consagrou e que está preconizado no ECA. As estatísticas permanecem falhas, as políticas públicas ainda são restritas e a incidência de violência contra este público é alarmante.

“Temos uma das mais belas legislações, mas a nossa lei não é viva”, considera a pediatra Edda Machado Teixeira, gerente de internamento pediátrico do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). “A política destoa entre o discurso e a prática”, conceitua a advogada Glícia Salmeron, representante do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda).

“O Estado sequer consegue um diagnóstico quanto à violência praticada contra crianças e adolescentes”, analisa.

Fonte: InfoNet