Educação

Cidades no interior cearense obtêm resultados exemplares com simulados semanais, cuidadoras e reforço

A maioria dos alunos da 8ª série da escola Professora Júlia Elisa Farias, em Groaíras, sertão cearense, usa chinelo de dedo na sala de aula. Alguns levam banana para completar a merenda. Há duas semanas, estavam diante do primeiro simulado do ano. Estavam atentos a perguntas e respostas em diferentes matérias, as quais testariam o quanto aprenderam nos últimos dias.

Tem sido essa a rotina nos últimos anos, quando a Secretaria municipal de Educação adotou simulados semanalmente. A prefeitura ainda colocou cuidadores em salas de aula –profissionais que dividem espaço com os professores para dar atenção especial a alunos com dificuldade de aprendizado –, criou turnos especiais para aulas de reforço e pregou um quadro colorido na sala dos professores que indica o grau de frequência e ausência dos alunos.

 

Resultados–As crianças de famílias simples ajudaram a colocar Groaíras no ranking das escolas com resultado surpreendente no último Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). A nota da cidade foi 6,7, considerada uma média de países desenvolvidos (acima de 6,0).

Assim como acontece em Sobral, segunda maior cidade cearense, que fica a 38 quilômetros de Groaíras, os alunos dessa cidade também estão amparados pelo Programa de Alfabetização na Idade Certa (Paic), implantado no estado em 2007. Após cinco anos de trabalho, os resultados começaram a aparecer.

Em 2011, os municípios atingiram a média satisfatória de alfabetização. O reflexo positivo tem sido percebido em boa parte dos municípios do Ceará. De 11 cidades nordestinas com boas notas no exame, nove estão no estado.

Fonte: O Globo