Educação

Pesadelo que começa na infância e em casa

Quando uma família de militares a tirou da vida de menina de rua no Rio de Janeiro (RJ), Maura de Oliveira Lobo achava que teria uma infância melhor.

Mas, além de ter que trabalhar como empregada doméstica sem remuneração, aos 6 anos de idade ela conheceu um tipo de violência que mesmo hoje, casada e com dois filhos, não esquece.

Foi abusada sexualmente por dez anos por dois de seus “patrões” dentro das casas onde morou, em vilas militares.

Atualmente, à frente de uma organização não-governamental que atende a pessoas vítimas de pedofilia e jovens carentes, Maura diz que só conseguiu superar medos e formar uma família porque sempre se sentiu muito sozinha.

A cada dia, pelo menos 20 crianças de zero a nove anos de idade são atendidas nos hospitais que integram o Sistema Único de Saúde (SUS) no País, após terem sido vítimas de violência sexual, de acordo com o Ministério da Saúde.

Segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), do ministério, em 2012, houve 7.592 notificações de casos desse tipo de violência nessa faixa etária, sendo 72,5% entre meninas e 27,5% em meninos.

Fonte: O Globo