Educação

Bullying na internet: do ambiente virtual para sala de aula

No fim dos anos 1970, a banda inglesa Pink Floyd estourou nas paradas mundiais com a canção “Another Brick In The Wall Part II”, uma crítica ao sistema educacional britânico.

Uma das frases mais marcantes, entoada por estudantes, é: “Teachers leave them kids alone!” (Professores, deixem as crianças em paz!, em tradução literal).

Mais de 30 anos depois, uma pesquisa do Portal Educacional, intitulada Este Jovem Brasileiro 2014, aponta que os mestres – e os pais – devem contrariar o rock inglês e, cada vez mais, participar do cotidiano dos estudantes.

Segundo o estudo, 73% dos professores já detectaram problemas entre seus alunos devido a conflitos online e 64% já notaram bullying virtual entre os discentes.

Segundo o grupo autor do material, mais de quatro mil alunos, de 36 escolas particulares de 13 estados e o Distrito Federal participaram do projeto, que também envolveu cerca de 300 pais e 60 professores.

Os amigos Bruno Gibim, 17 anos, e Jonatas Ferreira, 15, curso 2º ano do Ensino Médio e garantem que ofensas trocadas entre colegas são comuns. “Comentários maldosos são frequentes”, dizem, após revelarem que ambos já foram vítimas.

Fonte: Jornal de Brasília Online