Educação

Inovação e criatividade coletiva transformam a educação pública em escolas de Pernambuco e do Rio de Janeiro

Foi lançado ontem, dia 14 de maio, no Centro Cultural Oi Futuro, no Rio de Janeiro, um e-book com quarenta práticas pedagógicas das escolas que fazem parte do projeto NAVE- Núcleo Avançado em Educação, uma parceria da Oi Futuro com as secretarias de Educação.

As escolas públicas de Ensino Médio e em tempo integral que participam do projeto estão localizadas em Recife (Escola Técnica Estadual Cícero Dias) e no Rio de Janeiro (Colégio Estadual Leite Lopes). O desafio diário é transformar o ensino regular e técnico em aprendizagens significativas, estabelecendo as primeiras conexões profissionais. É assim que tesouras, colas, massas de modelar, poesias, mitos egípcios e gregos e tecnologias digitais se misturam no pátio e na sala de aula transformando o currículo e concretizando a aprendizagem.

Apresentação das experiências pedagógicas. Créditos: Cristina Lacerda

Desenvolvendo as inúmeras dimensões

A Oi Futuro vem desenvolvendo ao longo de dez anos esse programa no Ensino Médio Profissionalizante e funciona como uma incubadora de novas ideias e experiências, em cogestão com as secretarias estaduais. O livro digital foi planejado, construído, desenvolvido e avaliado coletivamente por educadores e educandos do projeto, garantindo o desenvolvimento emocional, físico, intelectual e social dos participantes.

Segundo Wagner Victer, secretário de Educação do Rio de Janeiro, a publicação tem o objetivo de disseminar os diversos conhecimentos construídos coletivamente. “Qualquer educador do Brasil poderá ter acesso e replicar as experiências, readaptando a realidade de cada estado.”

Todas as práticas reunidas no E-Nave foram feitas na expectativa de chegar mais próximo do cotidiano do aluno, não somente o escolar, mas aquele vivenciado no dia a dia. Nessa expectativa, o desafio foi o de inovar com o material existente nas escolas, não propriamente tecnológico, mas experimentar o corpo, a mente e desenvolver práticas significativas e empreendedoras.

Novas visões de mundo

Oito experiências criativas e inovadoras foram apresentadas por educadores e educandos das escolas participantes na noite de lançamento. Desde a prática da educação física como uma proposta inclusiva de meditação para meninos e meninas, sem a quadra poliesportiva, até a leitura contextualizada de rótulos alimentares, os conteúdos tinham provocado a reflexão crítica e estimulado novas visões de mundo.

“O programa é uma contribuição que a Oi e o Oi Futuro vêm desenvolvendo há 12 anos para a educação brasileira e a economia criativa e digital. Com o NAVE, queremos preparar os jovens para as novas profissões que a nova economia vem criando, e para as profissões que ainda vão ser criadas”, diz Suzana Santos, presidente do Oi Futuro.

Secretário de Educação de Pernambuco Frederico Amâncio. Créditos: Cristina Lacerda

“Professores e alunos fazem a diferença. Muitas pessoas contribuíram para essas inovações. Sistematizar as boas práticas e valorizar os professores é o nosso objetivo. O Brasil precisa conhecer essas experiências e promover esse conhecimento coletivo”, pontuou o secretario de educação de Recife, Frederico Amancio. Ressaltou ainda que, os projetos desenvolvidos na Escola Cícero Dias geram resultados positivos para todo o país, não se restringindo a rede estadual de Pernambuco.

Alunos do NAVE Recife- Projeto Choque de Roteiros. Créditos: Cristina Lacerda

Luiz Felipe Reis, 16 anos, estudante do segundo ano do ensino médio da escola pernambucana e participante do projeto Choque de Roteiro, desenvolvido pela instituição sob a supervisão do professor Marcel Calbus, conta que a experiência foi desafiadora. “Escrever, criar um roteiro, desenvolver uma história que chame a atenção, que tenha sentido, que seja criativa é muito difícil. Mas é possível! Nós aprendemos isso nas aulas, com as leituras, com as provocações do professor e dos outros alunos, nessa construção coletiva que é o objetivo principal da disciplina”.

Marcel explica que a ideia era simular uma sala de roteiristas, de criadores de histórias. Para isso ele dividiu a sala em grupos com tarefas diferentes, mas que tinham que se complementar para que o longa metragem ficasse pronto. “O Apocalipse 1500 (nome do longa produzido) mostra uma proliferação de zumbis durante a chegada dos portugueses ao Brasil”, finaliza Calbus.

“A palavra da vez é protagonismo”

Após as apresentações das escolas, o debate sobre educação, inovação e criatividade foi provocado por Pilar Lacerda, diretora da fundação SM e Anna Penido, gestora do Inspirare. “É preciso viabilizar essas práticas para se tornarem próximas dos alunos. A palavra da vez é protagonismo. Mas onde estão esses protagonistas? Sentados, enfileirados, esperando que digam o que fazer? Não! Precisamos oportunizar cada fala, planejar junto, pensar coletivamente para que não aja uma contradição na escola. Eu estou impactada com essas experiências do E-NAVE. Elas provam como é possível fazer uma educação de qualidade, crítica e inclusiva. Hoje eu vejo aqueles protagonistas desejados aqui”, apontou Pillar.

Debate: educação, inovação e criatividade por Pillar Lacerda e Anna Penido. Créditos: Cristina Lacerda

Anna acompanha a experiência do NAVE e revela sua admiração pelos professores pela reinvenção que se propuseram e vivenciaram. “ A única coisa que tem do século XXI na escola são os jovens. A provocação dos professores foi essencial para essa transformação. E o aluno tem que ser cúmplice nessa construção”, defende Anna.

As 40 experiências pedagógicas estão distribuídas nas 292 páginas do E-NAVE, disponível no site da Oi Futuro (oifuturo.org.br/e-NAVE). Além disso, foi assinado um acordo de cooperação com o Ministério da Educação para que o material fosse disponibilizado também na Plataforma Integrada de Recursos Digitais Educacionais do MEC (plataformaintegrada.mec.gov.br), ampliando cada vez mais a rede.

Equipe da Oi Futuro e NAVE Rio de Janeiro. Créditos: Cristina Lacerda

Dividido em oito capítulos e por áreas de conhecimento, os educadores encontrarão infográficos, planos de ação e recursos que poderão auxiliar as aulas. A diretora executiva da Oi Futuro, Sara Crosman, diz que os projetos das escolas Nave são referência para o mundo todo, mas faltava ultrapassar os muros físicos das escolas. “O e-book é a materialização desse propósito”.

  • O BLOG Educação viajou a convite da Oi Futuro
  • Vamos contar ainda outras histórias do colégio Estadual Leite Lopes – NAVE do Rio de Janeiro e como funciona o espaço escolar
  • Vai ter um ponto de vista como educadora! Acompanhe!
  • Agradecimento especial a toda equipe de comunicação da Oi Futuro, gestores e administradores das NAVES