Éshow!

Candomblé, um legado africano” entra na programação cultural da Semana da Consciência Negra de Fortaleza

Documentário “Candomblé, um legado africano” entra na programação cultural da Semana da Consciência Negra de Fortaleza
Filme que faz parte de uma trilogia será exibido no Ceará pela primeira vez

O documentário “Candomblé um legado africano”, com 55 minutos de duração já tem data para estreia em Fortaleza: próximo dia 20 de novembro, dentro da programação da Semana da Consciência Negra. Além do filme, a população vai poder conferir, exposições fotográficas com imagens usadas para compor o documentário.
Tendo como lugares escolhidos para as exibições, importantes centros culturais da cidade, na oportunidade a população poderá contar com cenas exclusivas do movimento africano, depoimentos de membros importantes e uma fotografia excepcional, que com certeza vai alavancar e desmistificar essa cultura afro-brasileira tão rica!
Introduzido no Brasil pelos escravos africanos, o Candomblé – se ainda interessa antropólogos e historiadores – sofre hoje de muitos preconceitos na sociedade brasileira. No documentário, o Pai de Santo Baba Leo, importante líder religioso de Fortaleza, explica os fundamentos desta religião para desvendá-la, além de um rico imaginário e uma forma de resistência – o hino a natureza e a vida como legado africano.

Sobre os idealizadores do projeto: Erika Thomas e Bernard Thomas são os coautores do documentario, que é o segundo opus de uma trilogia de filmes documentário consagrados ao Brasil. O primeiro da serie, Arqueologia da Amazonia a memoria da terra (2015, 30 min), foi selecionada em importes festivais de filmes de arqueologia tal como o Festival du film d’Archéologie d’Amiens e o Festival du film Scientifique de la Réunion em 2016, o mesmo ganhou uma menção especial na Semana da Arqueologia de Montréal (2016). Juntos Erika e Bernard Thomas trabalharam em mais de dez filmes de arte ou documentarios tambem apresentados em festivais ou encontros artísticos. Para Candomblé um legado africano, Erika Thomas, – professora doutora de cinema e de antropologia visual na universidade católica de lille – diretora e responsável pela edição do documentário, contou com Nathalie Pessoa, assistente de realização, também doutora e bióloga especialista de comportamentos humanos. O documentário coloca em perspectiva, a religião afro-brasileira apresentada por Baba Leo, um iminente representante da religião afro-brasileira em fortaleza.

O documentário está pré-selecionado e selecionado em dois países africanos:
No Benim : jà foi aprovado e esta sendo apoiado pelo Sr. Didier M. Houenoude – Historiador da Arte, Professor da universidade Abomey-Calavi e diretor do Instituto Nacional de Arte Arqueologia e da Cultura (INMAAC) para sua seleção no Festival Vaudoun de Porto Novo que acontecerá em janeiro 2019.
Na Republica dos Camaroes, o documentario foi selecionado para o Encontro de Anthropologia Visual e Ciências Humanas “Interpretar a Africa” que acontecera em junho 2019. Se representante Sr. Joseph Désiré Otabela, Professor na University of Missori – Columbia, indicou que o documentario Candomblé, um legado africano vai certamente contribuir a enriquecer o debate sobre a África e sua diáspora.
Passada a Semana na Consciência Negra, o projeto será exibido em outros centros culturais de extrema importância em Fortaleza, com confirmação e divulgação em breve.

SERVIÇO:

Documentário “Candomblé um legado africano”

Programação em Fortaleza:

Centro Cultural Belchior

*Dia 19/11, as 14:00 – lançamento da exposição fotografica do documentario Candomblé um legado africano. A exposição ficará em cartaz até o dia 21/11.

*Dia 20/11, as 14:00 – exibição do documentário

UFC Pró-Reitoria de extensão

*Dia 21/11, as 18:00 – exposição fotografica do documentario.

Vila das Artes:

*Dia: 24/11 as 18:00 – exibição do documentário

19:00 – Mesa Redonda

20:00 – Apresentação cultural