Éshow!

Documentário “Candomblé, um legado africano” entra na programação cultural da Semana da Consciência Negra de Fortaleza Filme que faz parte de uma trilogia será exibido no Ceará pela primeira vez

O documentário “Candomblé um legado africano”, com 55 minutos de duração já tem data para estreia em Fortaleza: próximo dia 20 de novembro, dentro da programação da Semana da Consciência Negra. Além do filme, a população vai poder conferir, exposições fotográficas com imagens usadas para compor o documentário.

Tendo como lugares escolhidos para as exibições, importantes centros culturais da cidade, na oportunidade a população poderá contar com cenas exclusivas do movimento africano, depoimentos de membros importantes e uma fotografia excepcional, que com certeza vai alavancar e desmistificar essa cultura afro-brasileira tão rica!
Introduzido no Brasil pelos escravos africanos, o Candomblé – se ainda interessa antropólogos e historiadores – sofre hoje de muitos preconceitos na sociedade brasileira. No documentário, o Babalorixá Leo, importante líder religioso de Fortaleza, explica os fundamentos desta religião para desvendá-la, além de um rico imaginário e uma forma de resistência – o hino a natureza e a vida como legado africano.

Sobre os idealizadores do projeto: Erika Thomas e Bernard Thomas são os coautores do documentario, que é o segundo opus de uma trilogia de filmes documentário consagrados ao Brasil. O primeiro da serie, Arqueologia da Amazonia a memoria da terra (2015, 30 min), foi selecionada em importes festivais de filmes de arqueologia tal como o Festival du film d’Archéologie d’Amiens e o Festival du film Scientifique de la Réunion em 2016, o mesmo ganhou uma menção especial na Semana da Arqueologia de Montréal (2016). Juntos Erika e Bernard Thomas trabalharam em mais de dez filmes de arte ou documentarios tambem apresentados em festivais ou encontros artísticos. Para Candomblé um legado africano, Erika Thomas, – professora doutora de cinema e de antropologia visual na universidade católica de lille –  diretora e responsável pela edição do documentário,  contou com Nathalie Pessoa, assistente de realização, também doutora e bióloga especialista de comportamentos humanos. O documentário coloca em perspectiva, a religião afro-brasileira apresentada por Baba Leo, um iminente representante da religião afro-brasileira em fortaleza.

O documentário está pré-selecionado e selecionado em dois países africanos:
No Benim : jà foi aprovado e esta sendo apoiado pelo Sr. Didier M. Houenoude – Historiador da Arte, Professor da universidade Abomey-Calavi e diretor do Instituto Nacional de Arte Arqueologia e da Cultura (INMAAC) para sua seleção no Festival Vaudoun de Porto Novo que acontecerá em janeiro 2019.
Na Republica dos Camaroes, o documentario foi selecionado para o Encontro de Anthropologia Visual e Ciências Humanas “Interpretar a Africa” que acontecera em junho 2019. Se representante Sr. Joseph Désiré Otabela, Professor na University of Missori – Columbia, indicou que o documentario Candomblé, um legado africano vai certamente contribuir a enriquecer o debate sobre a África e sua diáspora.
Passada a Semana na Consciência Negra, o projeto será exibido em outros centros culturais de extrema importância em Fortaleza, com confirmação e divulgação em breve.

SERVIÇO:

Documentário “Candomblé um legado africano”

Programação em Fortaleza:

*Centro Cultural Belchior*

*Dia 19/11, as 14:00 – lançamento da exposição fotografica do documentario Candomblé um legado africano. A exposição ficará em cartaz até o dia 21/11.
*Dia 20/11, as 14:00 – exibição do documentário

*UFC Pró-Reitoria de extensão*

*Dia 21/11, as 18:00 – exposição fotografica do documentario + exibição do documentário simultaneamente

*Vila das Artes:*

*Dia: 24/11 as 18:00 – exibição do documentário

19:00 –  Mesa Redonda

20:00 –  Apresentação cultural