Éshow!

Sustentabilidade é prioridade entre as marcas brasileiras

Sustentabilidade é prioridade entre as marcas brasileiras

Você certamente já ouviu falar sobre moda sustentável — o que antes era considerado apenas uma tendência, hoje vem se consolidando e ganhando cada vez mais espaço dentro do mundo fashion. Seja na produção ou no conceito, muitas marcas brasileiras estão apostando nessa iniciativa que impacta diretamente no meio ambiente. Um dos exemplos é a marca Econfort Lingerie, que aposta no algodão soft e possui o selo BCI (Better Cotton Initiative), uma certificação mundial concedida pela Abrapa no Brasil, e inclui nos princípios uma forma de implantar critérios na produção algodoeira mundial, como forma de buscar um futuro mais sustentável para o setor de produção de algodão.

 

Os meios de produção também devem ter essa cautela para estar dentro dos padrões da moda sustentável. Seja por meio da reutilização de materiais recicláveis, como o algodão orgânico e tecidos desfibrados (resultado da mescla entre retalhos e PET), é possível o reaproveitamento de materiais que antes seriam descartados em aterros ou iriam parar no oceano. “Para nós que trabalhamos diretamente com o conceito e a fabricação das peças, além de estarmos ajudando o meio ambiente, trabalhar com o algodão tem se mostrado uma das alternativas mais sustentáveis para a produção de tecidos, principalmente o algodão orgânico. Isso porque os tecidos de algodão são biodegradáveis e, diferentemente das fibras sintéticas, não soltam microplástico durante seu consumo”, disse a designer da marca Econfort, Samantha Perim.

Tecidos e acabamento de qualidade também são uma forma de contribuir para a proteção do meio ambiente — diferentemente da fast fashion, que foca na renovação do guarda-roupa a cada temporada, a moda sustentável dá espaço também para peças atemporais e de mais durabilidade. “O algodão, além de trazer mais conforto, traz uma durabilidade maior para as peças. Além disso, tentamos passar essa consciência para nossas consumidoras mostrando que é possível aproveitar durante muito tempo as antigas coleções e as novas que virão, não tendo a necessidade de antigas peças serem descartadas porque chegaram novas”, disse Samantha.

SELO BCI
É uma organização sem fins lucrativos que começou em 2005, numa mesa-redonda da ONG World Wildlife Fund (WWF). Reunindo produtores, beneficiadores, comerciantes, fabricantes, varejistas e organizações da sociedade civil em uma parceria global, a certificação BCI tem como objetivo garantir um futuro mais sustentável para o setor de produção de algodão. Ao mesmo tempo, o sistema Better Cotton tende a aprimorar a qualidade do algodão e da fibra, pois reduz a contaminação e estimula o produtor em investir em métodos mais avançados. Além disso, à medida que toda a cadeia do algodão demonstre seu compromisso com práticas mais sustentáveis de produção, a ampla adoção de práticas de melhoria da gestão e uma maior segurança na cadeia de fornecimento vão garantir uma melhor reputação para produtores, indústrias, varejo e organizações ligadas ao setor têxtil.

Assessoria de Imprensa Econfor