Éshow!

Dia Mundial de Combate à Asma acontece no próximo dia 7; ambiente limpo e atividades físicas auxiliam na prevenção

Dia Mundial de Combate à Asma acontece no próximo dia 7; ambiente limpo e atividades físicas auxiliam na prevenção
Não é sempre que a utilização de medicações é a melhor solução. Hábitos saudáveis e visitas regulares ao médico podem afastar a doença, que, segundo organização de saúde, mata três pessoas diariamente no Brasil
Na próxima terça, 7, acontece o Dia Mundial de Combate à Asma. A data ocorre anualmente, sempre na primeira terça-feira de maio. Doença crônica que pode ter como causa fatores genéticos, doenças alérgicas, a exemplo de rinite e dermatite atópica, ou mesmo obesidade, a asma – também identificada por bronquite asmática ou bronquite alérgica – é apontada por relatório da Iniciativa Global para Asma (Gina) como responsável por três mortes diárias no Brasil.
O Ceará, conforme o Ministério da Saúde, é o terceiro estado do Nordeste com mais internações motivadas pelo problema – no ranking, o Estado ficou atrás da Bahia e do Maranhão. Ambos os relatórios foram divulgados em 2018 e são os mais recentes sobre o assunto. Fatores ambientais, como poeira, ácaro, baratas, fungos, entre outros facilitadores, mudanças climáticas e estresse emocional contribuem para a incidência da asma, que apesar de não ser curável pode ter seus efeitos minimizados. É importante observar: existem medicações para prevenir a asma ou aliviar sua ocorrência.
Pêlos de animais, pólen e produtos químicos são ainda exemplos de desencadeadores de asma, doença ainda mais frequente no público infantil. O número de crianças acometidas pela doença no mundo gira em torno dos 11%; no Brasil, o índice chega a 20%. Segundo a pediatra e nutróloga infantil Vanuza Chagas, o pontapé para o tratamento é dado por meio de consultas médicas regulares. “Pneumologista ou alergologista darão orientações acerca do uso de medicações em eventuais crises e de medicações de manutenção, geralmente à base de corticoide, bem como orientações sobre sinais de complicação”, explicou a médica.
Levando o tratamento a sério
Hábitos higiênicos nos ambientes residencial e profissional e uso de vacinas contra alergias são maneiras de se evitar crises alérgicas. O cuidado com colchões e travesseiros, a utilização de capas anti ácaro, o não contato com fumantes e produtos químicos e de cheiro forte, a alimentação saudável e a prática de atividades físicas regularmente são também mecanismos contra a doença. “Programas de educação voltados para o paciente asmático são de total importância, tanto para o manejo na crise e manutenção como para evitar alérgenos no ambiente”, complementa Vanuza.