Éshow!

Maio amarelo: Para cada uma pessoa que morre em acidente de trânsito, outras 11 ficam com sequelas

Maio amarelo: Para cada uma pessoa que morre em acidente de trânsito, outras 11 ficam com sequelas
A segurança no trânsito volta ao foco em mais uma edição do Maio Amarelo. O movimento chama a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. Conforme a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), estatisticamente, para cada uma pessoa que morre em virtude do acidente de trânsito, outras 11 ficam com sequelas, 38 chegam a ser internadas e 380 necessitam de atendimento ambulatorial.
A Organização Mundial da Saúde afirma que, atualmente, as lesões causadas no trânsito são principais causas de morte de crianças e jovens de 5 a 29 anos. Nesta quinta-feira (9), a Prefeitura de Fortaleza divulgou que em 2018, 226 pessoas morreram vítimas do trânsito na capital, quase metade destas eram motociclistas e a grande maioria do sexo masculino.
O ortopedista Rodrigo Astolfi destaca que no Ceará uma das lesões mais comum é fratura exposta nos dedos dos pés ou até mesmo amputações. Isto porque, segundo ele, muitos motociclistas dirigem calçando chinelos, enquanto o correto seria optar por botas. Outros traumas frequentes devido aos acidentes de trânsito são os nos membros inferiores.
“Entorse do tornozelo é bastante comum, principalmente em pessoas jovens. As consequências de um acidente podem ser reduzidas com prevenção. O uso do capacete e a cadeirinha reduzem drasticamente as lesões fatais. Usar calça, bota, jaqueta, joelheira e cotoveleira ajuda muito nas lesões ortopédicas”, pontuou o médico.

Laura Bandeira Jornalista Âncora