Éshow!

Bruna Ene, cantora da nova safra de talentos cearenses, lança primeiro EP com forte influência do brega na próxima quarta-feira (26), na Livraria Cultura

Bruna Ene, cantora da nova safra de talentos cearenses, lança primeiro EP com forte influência do brega na próxima quarta-feira (26), na Livraria Cultura

Uma voz suave e o coração cheio de sonhos pelo mundo. Assim é a cantora Bruna Ene, que lança seu primeiro EP promocional na próxima quarta-feira (26), às 19h, no auditório da Livraria Cultura (Galeria Varanda Mall – Av. Dom Luís, 1010 – loja 8 – Aldeota). O show é aberto ao público e com classificação livre. É indicado chegar com até meia hora de antecedência. Logo após o show, que terá a duração de 50 min, haverá um coquetel onde a cantora irá receber os convidados para uma sessão de autógrafos com distribuição gratuita do EP.

A mulher de riso fácil e que domina o palco, tem conquistado vários seguidores nas redes sociais através de seu talento. Com seu fiel escudeiro, o ukelele, ela imprime sua personalidade em composições que abordam o cotidiano, mas de uma maneira meiga, divertida e autêntica, tendo o amor como protagonista.

Seu primeiro projeto autoral é basicamente uma autobiografia numa trajetória de desilusões amorosas. Sofrer? Claro que sim, desde que seja para rir das próprias dores, até para aliviar. Foi assim que nasceram as composições de Bruna, que também têm os lugares do mundo que visita como inspiração.

Integrante da nova safra de talentos da música cearense, a cantora levanta a bandeira do brega, justamente por conta desse sofrer com humor.

O EP conta com cinco faixas: “Só”, “Amar à toa”, “Eu pensei que era amor”, “Trinta” e “Once”, que misturam rock, pop e brega. A cantora fala que a decisão de partir para um projeto autoral teve a ajuda de amigos e profissionais do mercado, que foram importantes para traçar seu caminho musical. “Quando eu decidi que faria meu projeto autoral, contei com o apoio do meu grande amigo André Loureiro, produtor de audiovisual, que na época já morava em São Paulo e me apresentou pessoas que traçaram meus primeiros passos nessa jornada, com destaque para Raul Alaune, produtor musical que assina a produção de muitas das minhas músicas e de Jeff Pina, uma referência na produção do meu estilo, sendo músico de grandes artistas nacionais”, diz Bruna.

Já com vários clipes lançados com Youtube, o EP também estará disponível em todas as plataformas digitais.

O EP faixa a faixa por Bruna Ene

“Só“- Eu compus num momento em que estava exatamente como narra a música. Depois de algumas desilusões amorosas, passei a me dar o tempo necessário para me conhecer melhor e conviver com a solidão de maneira leve e divertida. Eu realmente viajei só, planejei só… e isso foi libertador pra mim.

“Amar à toa” – Veio num daqueles momentos românticos que eu nunca deixei de ter, onde a esperança de finalmente encontrar alguém que lhe “cure” alguns traumas reaparece.

“Eu pensei que era amor” – É mais uma música autobiográfica, de um momento em que eu me perguntava se tinha mesmo sentimento, já que não sofria realmente com os términos que me ocorreram. A referência do brega vem justamente da minha tentativa de sofrer da maneira mais clichê e acabar me divertindo.

“Trinta” – É mais uma música autobiográfica, mas com alguns exageros típicos do meu estilo de escrever. As referências da música me descrevem realmente.

“Once” – É uma das minhas composições em inglês, que vem desmontar as minhas certezas nas músicas como “só” e “eu pensei que era amor”. Fala das vezes que eu queimei minha língua. A gravação foi feita num apartamento alugado em Berlim durante uma viagem e conta com a participação de um violoncelista português que eu conheci lá.

Conheça Bruna Ene

Eu sempre fui a criança que pedia o microfone pra cantar, cantava nos casamentos e aniversários de parentes, mas só quando entrei na Academia Maria Ester de leitura e escrita (AME), quando estava no Ensino Médio, comecei a estruturar minhas composições e a cantar na banda autoral do colégio, onde chegamos a nos apresentar no centro de convenções e em vários eventos literários. Em seguida, entrei numa banda chamada LongNeck, de pop rock, e nos tornamos a banda residente da Mykonos, antiga boate do iate clube de Fortaleza.

Cerca de três anos depois, comecei a tocar na banda Retroativa, que hoje é a Reite, e nos apresentávamos nas melhores casas da cidade e também abríamos grandes shows, como do Jota Quest, Biquíni Cavadão e Kid Abelha.

Aos 22 anos tive minha filha Nina e dei um tempo na carreira, mas nunca deixei de pedir palhinha nos bares e restaurantes, o que me fez conhecer excelentes músicos e iniciar mais um projeto, que dessa vez levava meu nome, com o grande guitarrista Rafael Magoo, chegando a ganhar uma competição musical da TV diário. Através da parceria com meu fiel amigo Alex Ramon, continuei atuando na música, mas de maneira despretensiosa e como hobby.

Em 2018 tive uma grande perda na família e logo em seguida fiz uma longa viagem sozinha pela Europa, o que me fez pensar muito nos rumos que eu queria pra minha vida e voltar decidida a investir na carreira autoral.

Eu sou de uma família muito eclética e ter sido apresentada a vários estilos se reflete muito nas minhas composições e estilo. Do brega à música clássica, eu sempre estava ouvindo alguma coisa. Ter sido estimulada poeticamente também influenciou bastante no meu processo criativo e a maior parte das minhas composições nasceu na forma de poesia.

Siga Bruna Ene nas Redes Sociais: @brunaene

SERVIÇO:

CANTORA BRUNA ENE LANÇA SEU PRIMEIRO EP

QUANDO: 26/06 (quarta-feira), às 19h

ONDE: Auditório da Livraria Cultura – Shopping Varanda Mall (Av. Dom Luís, 1010 – loja 8 – Aldeota)

ACESSO: Gratuito

CLASSIFICAÇÃO: Livre