Esporte Radical

Gabriel Medina estreia com os recordes do Billabong Rio Pro

Paulista bateu todas as marcas do onze vezes campeão mundial Kelly Slater, que tinha a melhor apresentação da etapa brasileira do WCT no Postinho

 
billabong_riopro2013O paulista, Gabriel Medina, foi o grande destaque do primeiro dia do Billabong Rio Pro. Ele fez os recordes da primeira fase na etapa brasileira do WCT, atingindo imbatíveis 18 pontos de 20 possíveis com a nota 9,77 do melhor tubo surfado nas ondas de 4-6 pés, no Postinho da Barra da Tijuca, na quinta-feira. O sul-africano, Jordy Smith, chegou a igualar essa nota e totalizou 16,94 pontos, com os dois sendo os únicos a superar os 16,30 da estreia do líder do ranking mundial, Kelly Slater. Além de Medina, o outro brasileiro que venceu a bateria para passar direto para a terceira fase foi o também paulista, Adriano “Mineirinho” de Souza. O terceiro desafio do ASP World Tour 2013 continua nesta sexta-feira, com a repescagem prevista para começar às 6h30 novamente no palco principal do Billabong Rio Pro, no Postinho da Barra da Tijuca.

“Estou voltando de uma contusão agora e nesses dois meses que fiquei em recuperação, pude pensar bastante e ver realmente o quanto eu amo o surfe”, disse Gabriel Medina. “Estou feliz porque deu tudo certo para mim nessa bateria. Consegui aquela onda muito boa e estou me sentindo em casa surfando aqui no Rio. Minhas pranchas estão boas e também tive o apoio da galera na praia torcendo por mim, então quero agradecer todos que vieram aqui hoje”.

Medina venceu o oitavo confronto do Billabong Rio Pro 2013, depois da apresentação dos líderes do ranking mundial. O quarto colocado, Adriano de Souza, ganhou a segunda bateria do dia. Depois, um dos vice-líderes, Taj Burrow, foi mandado para a repescagem pelo havaiano Sebastien Zietz, e vai enfrentar o atual campeão carioca Gustavo Fernandes no primeiro duelo da sexta-feira, previsto para iniciar às 6h30. Já o outro vice-líder, Mick Fanning, o quinto colocado, Joel Parkinson, e o número 1, Kelly Slater, confirmaram o favoritismo.

Slater surfou bons tubos em três lugares diferentes do Postinho, mostrando uma sintonia impressionante com o mar na Barra da Tijuca. “Sempre que você vem para o Brasil, costuma vir preparado para surfar ondas menores, mas os tubos estão prevalecendo aqui no Postinho. Parece não estar tão bom quanto no ano passado, mas temos boas ondas e tubos pra surfar”, disse Slater. “Eu estava olhando o mar desde cedo e dava pra ver que você podia pegar o tubo, mas depois a onda oferecia no máximo uma ou duas manobras, então foi isso que busquei fazer”.

O atual campeão mundial, Joel Parkinson, também gostou das condições do mar. Vice-campeão no Billabong Rio Pro no ano passado, Parko estreou com vitória sobre os brasileiros Miguel Pupo e Messias Felix. “Foi uma boa bateria para começar o evento. Eu procurei surfar o máximo de ondas possível, pois o mar está muito balançado e a sorte acaba contando um pouco”, disse Joel Parkinson. “Eu estava na Indonésia fazendo uma trip e até serviu de preparação aqui pro Brasil. A gente vem esperando ondas menores e às vezes se surpreende como no ano passado, com ondas grandes e pesadas aqui no Postinho”.

Assim como Slater e Parko, mais quatro surfistas têm chances de brigar pela liderança do ranking em uma final entre eles: Taj Burrow, Mick Fanning, Nat Young e Adriano de Souza. Mineirinho já venceu o Billabong Rio Pro em 2011, quando assumiu a ponta pela primeira vez na carreira. Ele conquistou a primeira vitória brasileira na quinta-feira, mandando dois australianos para a repescagem, Matt Wilkinson e Yadin Nicol.

“É sempre muito importante começar bem o campeonato. O mar estava bem difícil, muita correnteza, mas estou feliz por iniciar com o pé direito”, falou Adriano de Souza. “Acho que tive um pouco de sorte em achar duas ondas boas pra vencer e estou focado e determinado em conseguir um bom resultado aqui no Brasil. Aqui é a minha casa e quero aproveitar essa vantagem a meu favor, já que a torcida aqui na praia é sempre maior para os brasileiros”.

E realmente um ótimo público compareceu na praia para assistir a primeira apresentação dos melhores surfistas do mundo no Billabong Rio Pro. Kelly Slater foi o centro das atenções, mas Gabriel Medina roubou a cena ao estabelecer os primeiros recordes da etapa brasileira do WCT. Ele e Mineirinho passaram direto para a terceira fase, enquanto os outros seis brasileiros vão ter que encarar uma rodada extra, a repescagem que vai abrir a sexta-feira no Postinho.

BRASIL NA REPESCAGEM – O campeão estadual do Rio de Janeiro, Gustavo Fernandes, disputará o primeiro confronto do dia com o vice-líder do ranking mundial, Taj Burrow. Na segunda bateria, o atual campeão brasileiro Messias Felix, enfrenta outro australiano Josh Kerr. Na quarta, o vencedor da triagem, Ricardo dos Santos, pega o francês Jeremy Flores. Na sétima, o carioca Raoni Monteiro duela com o australiano Taj Burrow.

Depois, os brasileiros disputam as duas últimas vagas para a terceira fase do Billabong Rio Pro. O catarinense Alejo Muniz e o paulista Miguel Pupo, que estão hospedados juntos no Rio de Janeiro, foram escalados na 11.a bateria e só um poderá continuar na disputa do título da etapa brasileira do WCT. Na última, o paulista Filipe Toledo, estreante na elite deste ano, enfrenta o australiano Matt Wilkinson.

TRANSMISSÃO AO VIVO E REDES SOCIAIS:
Billabong Rio Pro – http://wctbrasil.com/rio13
Facebook – www.facebook.com/WCTBrasil
Twitter – WCT_Brasil
Instagram – wctbrasil

PRIMEIRA FASE DO BILLABONG RIO PRO – 1.o=Terceira Fase / 2.o e 3.o=Repescagem:
1.a bateria: 1-Patrick Gudauskas (EUA)=11.50, 2-Josh Kerr (AUS)=10.27, 3-Alejo Muniz (BRA)=1.40
2.a: 1-Adriano de Souza (BRA)=12.07, 2-Yadin Nicol (AUS)=7.56, 3-Matt Wilkinson (AUS)=1.83
3.a: 1-Sebastian Zietz (HAV)=15.66, 2-Ricardo dos Santos (BRA)=8.93, 3-Taj Burrow (AUS)=8.67
4.a: 1-Mick Fanning (AUS)=13.20, 2-Filipe Toledo (BRA)=8.27, 3-Jack Freestone (AUS)=7.96
5.a: 1-Joel Parkinson (AUS)=13.34, 2-Messias Felix (BRA)=9.83, 3-Miguel Pupo (BRA)=2.47
6.a: 1-Kelly Slater (EUA)=16.30, 2-Kieren Perrow (AUS)=4.63, 3-Gustavo Fernandes (BRA)=4.23
7.a: 1-Glenn Hall (IRL)=15.00, 2-Travis Logie (AFR)=10.00, 3-Julian Wilson (AUS)=1.46
8.a: 1-Gabriel Medina (BRA)=18.00, 2-Dusty Payne (HAV)=7.26, 3-Damien Hobgood (EUA)=4.04
9.a: 1-Nat Young (EUA)=11.46, 2-Raoni Monteiro (BRA)=9.74, 3-Jeremy Flores=9.37
10: 1-Jordy Smith (AFR)=16.94, 2-Adam Melling (AUS)=12.44, 3-Kai Otton (AUS)=5.53
11: 1-Bede Durbidge (AUS)=11.27, 2-Michel Bourez (TAH)=9.77, 3-Brett Simpson (EUA)=9.27
12: 1-Kolohe Andino (EUA)=12.43, 2-Adrian Buchan (AUS)=8.56, 3-C. J. Hobgood (EUA)=7.43

SEGUNDA FASE – REPESCAGEM – Vitória=Terceira Fase / Derrota=25.o lugar –
1.a: Taj Burrow (AUS) x Gustavo Fernandes (BRA)
2.a: Josh Kerr (AUS) x Messias Felix (BRA)
3.a: Julian Wilson (AUS) x Jack Freestone (AUS)
4.a: Jeremy Flores (FRA) x Ricardo dos Santos (BRA)
5.a: Michel Bourez (TAH) x Yadin Nicol (AUS)
6.a: C. J. Hobgood (EUA) x Dusty Payne (HAV)
7.a: Adrian Buchan (AUS) x Raoni Monteiro (BRA)
8.a: Kai Otton (AUS) x Adam Melling (AUS)
9.a: Damien Hobgood (EUA) x Brett Simpson (EUA)
10: Travis Logie (AFR) x Kieren Perrow (AUS)
11: Alejo Muniz (BRA) x Miguel Pupo (BRA)
12: Matt Wilkinson (AUS) x Filipe Toledo (BRA)

PRIMEIRA FASE DO COLGATE PLAX GIRLS RIO PRO – 1.a=Terceira Fase / 2.a e 3.a=Repescagem:
1.a bateria: Lakey Peterson (EUA), Bianca Buitendag (AFR), Rebecca Woods (AUS)
2.a: Sally Fitzgibbons (AUS), Paige Hareb (NZL), Sage Erickson (EUA)
3.a: Carissa Moore (HAV), Silvana Lima (BRA) e a convidada do evento
4.a: Tyler Wright (AUS), Malia Manuel (HAV), Phillipa Anderson (AUS)
5.a: Courtney Conlogue (EUA), Laura Enever (AUS), Alize Arnaud (FRA)
6.a: Coco Ho (HAV), Alana Blanchard (HAV), Pauline Ado (FRA)

Fonte: Assessoria de Imprensa Billabong Rio Pro e ASP  – João Carvalho

Recomendado para você