Esporte Radical

Paraquedistas colorem o céu da Praia do Futuro

576 6

Em um céu azul e iluminado pelo sol, o músico Waldonys, entre 21 paraquedistas, deixaram o dia dos frequentadores da Praia do Futuro mais emocionante

Vinte e dois paraquedistas dividiram-se em dois grupos e saltaram na Praia do Futuro

Para quem vai curtir uma praia já é maravilhoso só em estar lá, mas, presenciar um céu colorido de paraquedistas desbravadores, ousados e cheios de adrenalina é bem melhor. Na manhã de 3 de setembro, uma turma de 22 paraquedistas fez um salto de 10 mil pés, de um helicóptero modelo S76, da empresa Chopper Solutions, e pousaram em frente à barraca Órbita Blue, na Praia do Futuro.

 

Waldonys José Torres

Um dos ilustríssimos paraquedistas era o músico e piloto, Waldonys José Torres, que sempre gera surpresa a todos por onde passa, com voos e acrobacias, no seu RV-4 azul. Depois, chega de forma inédita, saltando e pousando no local do seu show.

Dessa vez, Waldonys estava ao lado dos companheiros de salto que deram um show no ar, fazendo formações de 3 way e 4 way, as conhecidas estrelas em queda livre, e outros optaram por um salto solo, como foi o seu caso e do paraquedista e diretor de fotografia, da Gabribas Produções, Gabriel Andrade.

Gabriel Andrade disse que as pessoas na praia ficaram bastante impressionadas diante do espetáculo, porque grande parte delas, antes de verem todos pousando, não os veem em queda livre ou “navegando”, quando o paraquedas está mais alto. Então, de repente, quando olham pra cima têm o impacto de todos bem próximos do chão, já chegando na areia.

“A reação de algumas crianças é bem legal. Nesse salto, uma senhora chegou do meu lado trazendo seu netinho de nove anos e disse ter caminhado um bom pedaço da praia, apenas para perguntar: ‘Explica para ele como é que vocês fizeram isso, de onde vocês saíram pra chegar aqui e como é’”, relata Gabriel.

Gabriel ainda enfatiza que o paraquedismo é um esporte extremo, em que erros ou excesso de confiança podem custar a vida. “Buscamos nos divertir sempre com segurança. No meu caso, por ser fotógrafo, busco captar imagens que consigam transmitir um pouco da emoção e do prazer de saltar”, relata.

Fotos e imagens: Gabribas Produções

Saiba mais
Para fazer um salto desse na praia, todos os paraquedistas devem ter, no mínimo, a Categoria B (pelo menos 50 saltos já realizados, por exemplo), de acordo com a Confederação Brasileira de Paraquedismo.

Os saltos de helicóptero não são tão comuns, pelo custo ser mais elevado do que o avião.

Vídeo do salto do Waldonys:

Vídeo do salto realizado, na Praia do Futuro, no Órbita Blue, no dia 5 de fevereiro de 2017:

 

Recomendado para você