Esporte Radical

Surf Ranch Pro com chances iguais na piscina de ondas

A inédita etapa do World Surf League Championship Tour na Califórnia terá um formato especial sem divisão de baterias, com todos entrando na piscina três vezes, no mínimo, para surfar uma direita e uma esquerda, e o mais completo será o campeão

Surf Ranch (@WSL / Kelly Cestari)

Começa nesta quinta-feira o campeonato mais esperado do ano, o primeiro valendo pontos na corrida do título mundial em ondas artificiais da história do World Surf League Championship Tour. O Surf Ranch Pro será disputado até domingo com um formato especial para a piscina de ondas criada por Kelly Slater, em Lemoore, no interior da Califórnia. Todos os participantes terão três chances de surfar uma esquerda e uma direita nas ondas de sonho do Surf Ranch, com paredes perfeitas para manobras de borda e aéreas, além de sessões com longos tubos. Se errar perde a onda. Os oito homens e as quatro mulheres que conseguirem as maiores pontuações, somando a nota surfando de backside com a de frontside, vão decidir os títulos novamente com três chances para surfar uma esquerda e uma direita.

Kelly Slater (EUA) (@WSL / Sean Rowland)

Será, certamente, um evento inédito em tudo. O primeiro com venda de ingressos para o público assistir de perto os melhores surfistas do mundo das arquibancadas, com todo o suporte de alimentação e serviços para o bem-estar da torcida. Também, que não depende da natureza para aguardar as melhores condições do mar, ´pois, é só apertar o botão da máquina do Surf Ranch que a onda vai entrar perfeita para surfar uma direita e na volta uma esquerda, ou vice-e-versa. Outro fator é que realmente vai premiar o surfista completo, o melhor pegando onda de frontside e de backside, pois vai somar a maior nota da direita e da esquerda.

Entre os homens, os oito melhores da fase qualificatória irão decidir o título e receberão pontuações no ranking conforme as colocações que ficarem no último dia, sendo 10.000 pontos para o campeão, 7.800 para o segundo, 6.085 para o terceiro, depois quarto, quinto, sexto, sétimo e oitavo. Os que ficaram bem perto da rodada final, com a nona, décima, 11.a e 12.a pontuações no qualifying, terminam empatados em nono lugar no Surf Ranch Pro, marcando 3.700 pontos no ranking. Os doze seguintes, da 13.a a 24.a posição no qualifying, dividirão o 13.o lugar com 1.665 pontos. E os demais, do 25.o ao pior na piscina das ondas, ficam em 25.o lugar com apenas 420 pontos.

ORDEM DE ENTRADA – A expectativa é grande para todos, principalmente para os atletas. A programação para os quatro dias já está definida, com a World Surf League divulgando os horários que todos se apresentarão nas ondas perfeitas do Surf Ranch. A ordem de entrada será pelo ranking do World Surf League Championship Tour 2018 e os líderes serão os últimos a estrear, já sabendo o que precisam fazer para superar os que já surfaram.

Na categoria masculina, os 36 participantes foram divididos em dois grupos. Os dezoito mais bem colocados no Jeep Leaderboard só competem no segundo dia. Os outros dezoito entram no primeiro, com cada um tendo duas chances para surfar uma esquerda e uma direita. O cálculo é de 8 minutos para cada onda e todos os horários de cada atleta já estão previamente estabelecidos. No terceiro dia, todos os 36 fazem sua terceira tentativa de aumentar as pontuações do qualifying e a ordem de entrada será de acordo com a classificação das duas primeiras voltas. Os piores entrarão primeiro e os melhores no final. É neste terceiro dia que serão decididos os oito finalistas e a classificação dos que ficarem de fora deste grupo.

A sequência de entrada dos competidores para surfar será como um subgrupo de três em três fazendo suas duas participações. Somente após a segunda volta do terceiro é que entra outro subgrupo de três surfistas. Exemplificando, o primeiro a se apresentar no Surf Ranch Pro será o vencedor da triagem, o japonês Hiroto Ohhara, que vai surfar sua primeira onda, às 9h, da quinta-feira, na Califórnia, 13h no Brasil. O segundo é o dono da casa, o idealizador da piscina de ondas longe do mar em Lemoore, Kelly Slater, às 9h08.

ESTREIA DO BRASIL – O Brasil estreia no Surf Ranch Pro logo após o onze vezes campeão mundial, com Miguel Pupo surfando sua primeira onda, às 9h16. Depois, o japonês pegará outra esquerda e direita, às 9h24, com Slater iniciando sua segunda entrada, às 9h32, e Pupo, às 9h40. Somente após os três fazerem suas duas primeiras voltas é que entra o segundo grupo de três, começando por Wiggolly Dantas surfando, às 9h48, e, às 10h12, sendo 14h12, no Brasil. Guigui e Miguel estão mais uma vez substituindo os contundidos John John Florence e Caio Ibelli nesta oitava etapa do World Surf League Championship Tour.

Mais cinco brasileiros competirão no primeiro dia. O próximo será o pernambucano, Ian Gouveia, às 10h44, da quinta-feira, na Califórnia, 14h44 no Brasil. Depois, tem o paulista, Jessé Mendes, às 12h34, Tomas Hermes, às 13h30, o também catarinense, Yago Dora, às 14h10 e o campeão mundial, Adriano de Souza, fechando o primeiro dia, com sua primeira entrada, às 14h26, e a última começando, às 14h50, 18h50 no Brasil.

ESTRELAS NA SEXTA-FEIRA – No outro grupo de dezoito surfistas que vai estrear na sexta-feira estão os mais bem colocados no ranking e os principais concorrentes ao título mundial da temporada. O segundo dia vai começar mais tarde para os homens, pois o Surf Ranch Pro também terá competição feminina, com a gaúcha, Tatiana Weston-Webb, e a cearense, Silvana Lima, defendendo o Brasil na oitava etapa do World Surf League Championship Tour. Por estarem encabeçando o ranking, Filipe Toledo e Gabriel Medina serão os últimos a surfar, fechando a apresentação dos 36 participantes do Surf Ranch Pro.

Filipe vai competir mais uma vez com a lycra amarela do Jeep Leaderboard e o único que pode lhe tirar o primeiro lugar é o próprio Medina. A estreia do campeão mundial de 2014 está marcada para as 17h48, da sexta-feira, na Califórnia, 21h48 no Brasil. Filipe Toledo entra em seguida, às 17h56, depois fecha o segundo dia iniciando sua segunda volta, às 18h20, 22h20 no Brasil. Já o primeiro brasileiro a se apresentar será o cearense Michael Rodrigues, às 13h30. Depois, tem o catarinense Willian Cardoso só às 16h04 e o potiguar Italo Ferreira às 17h08, 21h08 no Brasil, antes da estreia dos líderes Filipe Toledo e Gabriel Medina.

Acompanhe a transmissão ao vivo do Surf Ranch Pro pelo www.worldsurfleague.com ou pelo aplicativo ou pelo Facebook Live da World Surf League.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensesn, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.
Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

SURF RANCH PRO – os 36 participantes entram 3 vezes para surfar 2 ondas:
PRIMEIRO DIA – HORÁRIO DA PRIMEIRA ENTRADA E DA SEGUNDA:
———————-fuso da Califórnia 4h00 a menos do Brasil
01: Hiroto Ohhara (JPN) – 09h00 (13h00 no Brasil) e 09h24 (13h24)
02: Kelly Slater (EUA) – 09h08 (13h08) e 09h32 (13h32)
03: Miguel Pupo (BRA) – 09h16 (13h16) e 09h40 (13h40)
—————————–
04: Wiggolly Dantas (BRA) – 09h48 (13h48 no Brasil) e 10h12 (14h40)
05: Joan Duru (FRA) – 09h56 (13h56) e 10h20 (14h20)
06: Keanu Asing (HAV) – 10h04 (14h04) e 10h28 (14h28)
—————————–
07: Matt Wilkinson (AUS) – 10h36 (14h36) e 11h00 (15h00)
08: Ian Gouveia (BRA) – 10h44 (14h44) e 11h08 (15h08)
09: Patrick Gudauskas (EUA) – 10h52 (14h52) e 11h16 (15h16)
——————–intervalo de 01h18
10: Jessé Mendes (BRA) – 12h34 (16h34) e 12h58 (16h58)
11: Michael February (AFR) – 12h42 (16h42) e 13h06 (17h06)
12: Connor O´Leary (AUS) – 12h50 (16h50) e 13h14 (17h14)
—————————–
13: Joel Parkinson (AUS) – 13h22 (17h22) e 13h46 (17h46)
14: Tomas Hermes (BRA) – 13h30 (17h30) e 13h54 (17h54)
15: Sebastian Zietz (HAV) – 13h38 (17h38) e 14h02 (18h02)
—————————–
16: Yago Dora (BRA) – 14h10 (18h10) e 14h34 (18h34)
17: Frederico Morais (PRT) – 14h18 (18h18) e 14h42 (18h42)
18: Adriano de Souza (BRA) – 14h26 (18h26) e 14h50 (18h50)
SEGUNDO DIA – HORÁRIO DA PRIMEIRA ENTRADA E DA SEGUNDA:
———————-fuso da Califórnia 4h00 a menos do Brasil
01: Conner Coffin (EUA) – 12h34 (16h34 no Brasil) e 12h58 (16h58)
02: Ezekiel Lau (HAV) – 12h42 (16h42) e 13h06 (17h06)
03: Kanoa Igarashi (JPN) – 12h50 (16h50) e 13h14 (17h14)
—————————–
04: Adrian Buchan (AUS) – 13h22 (17h22) e 13h46 (17h46)
05: Michael Rodrigues (BRA) – 13h30 (17h30) e 13h54 (17h54)
06: Griffin Colapinto (EUA) – 13h38 (17h38) e 14h02 (18h02)
—————————–
07: Jeremy Flores (FRA) – 14h10 (18h10) e 14h34 (18h34)
08: Mikey Wright (AUS) – 14h18 (18h18) e 14h42 (18h42)
09: Kolohe Andino (EUA) – 14h26 (18h26) e 14h50 (18h50)
——————–intervalo de 01h14
10: Willian Cardoso (BRA) – 16h04 (20h04) e 16h28 (20h28)
11: Michel Bourez (TAH) – 16h12 (20h12) e 16h36 (20h36)
12: Jordy Smith (AFR) – 16h20 (20h20) e 16h44 (20h44)
—————————–
13: Owen Wright (AUS) – 16h52 (20h52) e 17h16 (21h16)
14: Wade Carmichael (AUS) – 17h00 (21h00) e 17h24 (21h24)
15: Italo Ferreira (BRA) – 17h08 (21h08) e 17h32 (21h32)
—————————–
16: Julian Wilson (AUS) – 17h40 (21h40) e 18h04 (22h04)
17: Gabriel Medina (BRA) – 17h48 (21h48) e 18h12 (22h12)
18: Filipe Toledo (BRA) – 17h56 (21h56) e 18h20 (22h20)
TOP-22 DO JEEP LEADERBOARD – RANKING WSL 2018 – após a 7.a etapa no Taiti:
01: Filipe Toledo (BRA) – 41.985 pontos
02: Gabriel Medina (BRA) – 35.685
02: Julian Wilson (AUS) – 32.380
04: Italo Ferreira (BRA) – 30.160
05: Wade Carmichael (AUS) – 26.550
06: Owen Wright (AUS) – 24.740
06: Jordy Smith (AFR) – 23.575
08: Michel Bourez (TAH) – 22.705
09: Willian Cardoso (BRA) – 21.825
10: Kolohe Andino (EUA) – 21.070
11: Mikey Wright (AUS) – 20.865
12: Jeremy Flores (FRA) – 19.945
13: Griffin Colapinto (EUA) – 18.700
14: Michael Rodrigues (BRA) – 18.605
15: Adrian Buchan (AUS) – 18.580
16: Kanoa Igarashi (JPN) – 18.445
17: Ezekiel Lau (HAV) – 17.455
18: Conner Coffin (EUA) – 17.360
19: Adriano de Souza (BRA) – 16.515
20: Frederico Morais (PRT) – 15.525
21: Sebastian Zietz (HAV) – 13.035
21: Yago Dora (BRA) – 13.035
——–outros brasileiros:
23: Tomas Hermes (BRA) – 12.340 pontos
28: Jessé Mendes (BRA) – 9.955
31: Ian Gouveia (BRA) – 7.465
35: Wiggolly Dantas (BRA) – 3.750
36: Miguel Pupo (BRA) – 3.345
37: Caio Ibelli (BRA) – 2.940
39: Alejo Muniz (BRA) – 1.665
43: Deivid Silva (BRA) – 420

Fonte: João Carvalho – WSL South America Media Manager

Recomendado para você