Fala, Isa!

“Cresci achando que eu tinha nascido no sexo errado”, diz Thaila Ayala

Thaila Ayala (Foto: Divulgação)

A atriz Thaila Ayala aproveitou a quinta-feira, 8, data em que foi comemorado o Dia Internacional da Mulher, e compartilhou um texto em que reflete sobre como, desde a infância, sofreu com a ideia de que meninos e meninas não poderiam fazer as mesmas coisas.

“Eu cresci achando que eu tinha nascido no sexo errado, queria porque queria ser menino, nem ligava quando minha própria irmã me chamava de Maria João. Queria ser menino porque eles podiam fazer tudo que eu gostava, jogar futebol, andar de skate, lutar, usar boné e roupas largas. Enfim, cresci achando que isso são coisas de meninOs, e não de meninAs, e mesmo assim eu fiz todas elas! Desde cedo lutei contra uma sociedade machista, mesmo sem saber do poder que isso traria para a minha vida”, disse a atriz.

Já adulta, Thaila comentou que nunca se livrou da ideia de que assumia um papel que devia ser de um homem. “Muitas vezes fui chamada de homem da casa por pagar as contas de casa, ou cansei de ouvir: ‘Thaila é um menino, ela pensa e age como um menino’, porque eu acredito e defendo a liberdade”, lembrou.

Por fim, ela disse que ainda hoje a sociedade é machista e que a luta é pela igualdade.

“A verdade é que nós somos impregnadas por ideias machistas SIM e que nos são impostas goela abaixo mas está nas nossas mãos a mudança, e essa mudança pode e deve começar com você, na sua casa, no seu trabalho, no meio que você vive! Nós somos livres para sermos quem e o que quando e onde quisermos! Nós somos fortaleza, poder, força, delicadeza, amor, mãe, jogadoras de futebol, lutadoras, skatistas, nos somos mulheres. Parabéns para nós”, concluiu.

Eu cresci achando que eu tinha nascido no sexo errado, queria pq queria ser menino, nem ligava quando minha própria irmã me chamava de Maria Joao, queria ser menino pq eles podiam fazer tudo que eu gostava, jogar futebol, andar de skate, lutar, usar boné e roupas largas, enfim cresci achando que isso são coisas de meninOs e não MeninAs e mesmo assim eu fiz todas elas! Desde cedo lutei contra uma sociedade Machista, mesmo sem saber do poder que isso traria p minha vida! Muitas vezes fui chamada de “O homem da casa” por pagar as contas de casa, ou cansei de ouvir “a Thaila é um menino ela pensa e age como um menino” porque eu acredito e defendo a liberdade! A verdade é que NOS SOMOS impregnadas por ideias machistas SIM e que nos são impostas goela abaixo mas está nas nossas mãos a mudança, e essa mudança pode e deve começar com você, na sua casa, no seu trabalho, no meio que você vive! Nos somos LIVRES para sermos quem e o que quando e onde quisermos! Nos somos fortaleza, poder, força, delicadeza, amor, mãe, jogadoras de futebol, lutadoras, skatistas, nos somos MULHERES! Parabéns p nos!

A post shared by Thaila Ayala (@thailaayala) on

Recomendado para você