Fora da Ordem

Documentário que conta história de Maria Bethânia no Carnaval estreia em fevereiro

1298 3


(Foto: Divulgação)

O documentário “Fevereiros“, sobre a vida de Maria Bethânia, estreia no próximo dia 7 de fevereiro. Dirigido por Marcio Debellian, o longa acompanhou Bethânia com o vitorioso desfile da Mangueira em sua homenagem, em 2016. Filme mostra a construção do carnaval da escola de samba, dos desenhos das primeiras alegorias aos desfiles na avenida.

“O que me interessou desde o início, independente do resultado que o carnaval viria a ter, foi o recorte que a Mangueira escolheu para o enredo. Entre as inúmeras possibilidades de se homenagear Maria Bethânia, a escola escolheu tratar da sua devoção religiosa, do seu sincretismo pessoal que junta o candomblé, devoção católica e sabedorias herdadas dos índios”, afirma o diretor Marcio Debellian por meio da assessoria.

O longa entra no ambiente familiar de Bethânia, no Recôncavo baiano e mostra a religiosidade e as festas de Santo Amaro da Purificação, cidade natal da artista. Neste trânsito entre o Rio de Janeiro e a Bahia, “Fevereiros” depara-se com questões históricas como o surgimento do samba, tolerância religiosa e racismo.

“O Recôncavo baiano, região onde Bethânia nasceu, tem a particularidade de ter sido o lugar no Brasil que mais recebeu negros escravizados trazidos da África. A Bahia soube misturar as tradições africanas, indígenas e portuguesas e transformá-las em expressões originais brasileiras em relação à música, religião e festas populares. Esses aspectos vão sendo apresentados no filme conforme nos aproximamos de Santo Amaro e acompanhamos a construção do carnaval da Mangueira”, explica o diretor.

“Fevereiros” rodou 29 festivais de cinema pelo mundo, passando por países como Canadá, França, Rússia, Suíça, Espanha, Itália, Chile, Uruguai, Congo e Senegal. É vencedor do prêmio de Melhor Filme no 10º IN-Edit Brasil e recebeu Menção Honrosa do Júri na competitiva Ibero-americana do 36º Festival Internacional do Uruguai.

Além da protagonista, o filme conta com depoimentos de Caetano Veloso, Chico Buarque, do carnavalesco da Mangueira Leandro Vieira, do historiador Luiz Antonio Simas, da poeta Mabel Velloso, irmã de Bethânia, e do porta-bandeira da Mangueira Squel Jorgea.

Recomendado para você