Fora da Ordem

Daniel Peixoto começa série de lançamentos com versão dos Novos Baianos e promete álbum para 2020

(Foto: Carol Monteiro)

O artista caririense Daniel Peixoto lançou nessa segunda-feira, 14, o clipe de “Colégio de Aplicação”, último single do álbum Massa (Music Bunker, 2017). É o quinto clipe do disco e o primeiro que Peixoto assina a direção. A música foi gravada originalmente pelos Novos Baianos em 1970 no álbum É Ferro na Boneca.

Registrado no Núcleo de Áudiovisual (Nave) do Porto Iracema das Artes, em Fortaleza, o clipe inaugura o projeto DP: série de lançamentos nos próximos meses que terá parcerias com Filipe Catto, Getulio Abelha, Omulu e L_Cio. O projeto vai até meados de 2020, quando Peixoto deve lançar o álbum Iracema Som Sistema, o terceiro da carreira, produzido por Gorky.

Pioneiro da música queer no Brasil, Daniel Peixoto falou ao blog Fora da Ordem sobre o novo disco, explica como a música dos Novos Baianos permanece atual e a possibilidade de experimentar estratégias para o mercado de streaming.

FDO: Massa foi lançado em 2017. Naquele mesmo ano, publicamos aqui que você trabalhava com Gorky na produção do Iracema Som Sistema. Por que esse trabalho ficou para 2020?

Daniel Peixoto: Quando começamos os trabalhos no laboratório de música do Porto Iracema, o Massa tinha saído duas semanas antes. Eu não estava com pressa para lançar um álbum novo e o Gorky tava envolvido com a produção do material da Pabllo (Vittar) e outras produções. Nesse meio tempo acabei me envolvendo em outros projetos como o programa Porto Dragão Sessions que tá no ar agora (pelo canal Music Box Brasil), material inédito do Montage e meu show em tributo à Madonna.

FDO: E como esse tempo influenciou no resultado final?

Daniel Peixoto: Decidimos, eu e Gorky, que vamos modificar algumas coisas e trazer a sonoridade pra esse tempo já que as músicas foram feitas em 2017. Elas precisam soar como algo atual.

Daniel Peixoto e dançarinos no clipe “Colégio de Aplicação” (Foto: Carol Monteiro)

FDO: De que forma “Colégio de Aplicação”, escrita há 50 anos, dialoga com os dias atuais?

Daniel Peixoto: Essa canção não envelheceu e fala muito do que vivemos hoje e de que forma devemos nos portar. Essa “nova raça” somos nós conscientes de quem somos e de nossos papeis e responsabilidades na sociedade.

FDO: Você sempre esteve na produção dos clipes, mas esse é o primeiro dos cinco vídeos do Massa que você dirigiu. Como foi a experiência?

Daniel Peixoto: Eu sempre me envolvo nas produções e já tinha dirigido “Superdrug” do Montage. Foi trabalhoso, mas o apoio do Nave foi fundamental . Eu tinha um filme na minha cabeça e ele ficou exatamente como eu queria, devo muito disso ao Renan Martins que fez a edição e entendeu minha pira artística muito bem.

FDO: Você começa agora o projeto DP. Essas canções já adiantam o que virá no Iracema Som Sistema?

Daniel Peixoto: Não! O projeto DP são composições inéditas e regravações que eu sempre quis fazer e de uma certa forma me adaptando à nova maneira de lançamento nas plataformas digitais. Sempre pensei em álbuns mas consigo entender esses lançamentos pontuais como uma boa estratégia para alcançar o público que consome música nesses apps.

Recomendado para você